Dois funcionários de segurança foram demitidos porque não perceberam que a perna de Lowcock era na verdade uma prótese. Antes de receber o dispositivo de monitoramento da G4S, ele enrolou a perna falsa em ataduras, para convencê-los de que era real. Não iria enganar com certeza, mas funcionou. E continuou a funcionar mesmo depois de ele ter sido pego dirigindo (com duas pernas?), e ele foi preso de novo.

A G4S diz que coloca etiquetas de rastreamento em 70.000 pessoas por ano. “Dois mil criminosos recebem a etiqueta toda semana, e incidentes como este são muito raros”. Assim espero. [Telegraph via The Awl]