Sim, a HP, maior empresa de PCs do mundo, anunciou ao mundo que vai se separar de sua divisão de PCs de US$40 bilhões. Eles fizeram até um anúncio publicitário para isso, publicando-o pela primeira vez no blog da empresa. Só que eles não dizem que vão vender: eles só anunciam que preferem transformar a fabricante de PCs em uma empresa separada. Mas virar uma startup, HP? Acho que não.

A HP diz no anúncio:

[A] linha de ação que preferimos é transformar nossa divisão de PCs em uma empresa separada, criando uma organização mais ágil para nos ajudar a antecipar melhor as mudanças e responder rápido aos consumidores. Isto nos dará a liberdade de entregar os melhores produtos novos, pelos melhores preços, mais rápido do que já fizemos antes.

Ser mais ágil é bem típico de startups. Uma startup é uma empresa nova, geralmente de tecnologia, em fase de desenvolvimento e pesquisa de mercado. É caracterizada pelo alto grau de inovação e pela agilidade em desenvolver e lançar novos produtos. Será que a HP pode mesmo ser assim? Será que ela poderia ser gerida com esse espírito? Comandar uma empresa de US$40 bilhões como uma startup é muito complicado – ainda mais em se tratando de uma gigante de PCs.

No anúncio, a HP diz que “agora, mais do que nunca, nós estamos comprometidos com o futuro da computação pessoal”. Mas se vocês amam o PC, por que estão sugerindo que vão vender a divisão de PCs? E se vocês apostam no futuro da computação, por que abandonaram os tablets? Lembra do Voodoo PC? Façam mais coisas do tipo! É uma pena ver um gigante possivelmente deixar de lado o ramo de PCs. [HP via Venture Beat]