O iFixit terminou seu desmanche do novo e caro iMac Pro, e, embora a maioria dos resultados seja típico de um dispositivo Apple, já que a empresa raramente coloca um componente que não possa soldar à placa-mãe, existem três exceções que valem ser apontadas. A CPU, a RAM e o SSD parecem ser substituíveis, desde que você esteja pronto para mexer nas entranhas de uma máquina de R$ 38 mil. Se isso for confirmado, é um negócio bem importante.

• Alguém precisa falar o óbvio: não faz o menor sentido um celular custar R$ 7 mil
• Dou entrada em um apartamento ou compro um iMac Pro?

Desde a mudança da Apple para processadores Intel há 12 anos, a empresa tem dificultado cada vez mais que os usuários modifiquem suas próprias máquinas. Onde antes você podia estender a vida de um notebook Apple ao modificar a RAM, o disco rígido e até mesmo o processador, agora você pode melhorá-lo… comprando um novo notebook.

Na última década, os computadores da Apple se tornaram belos itens de engenharia — mais finos e suaves do que qualquer outra coisa disponível —, mas isso significou falta de espaço para erros, atualizações ou menos uma entrada para trocar facilmente a memória, por exemplo.

O iMac Pro, tão bem engendrado quanto seus antecessores, não facilita os upgrades, mas o seu processador, um Intel Xeon W-2140B, não é soldado à placa-mãe e parece usar um soquete 2066 padrão, o que significa que você pode, teoricamente, substituir a CPU com qualquer processador que use um soquete 2066. Portanto, seu computador caríssimo pode ganhar uns anos extras com algum investimento (o soquete 2066 só foi lançado em junho do ano passado, então deve ter uma longa vida pela frente).

Além da CPU ser atualizável, a capacidade do disco rígido de também ser melhorado é uma surpresa bem-vinda. A Apple tinha o mau hábito de soldar os SSDs ultimamente, o que podia ser devastador quando você descobria, seis meses depois, que deveria ter escolhido mais armazenamento.

Você também pode fazer upgrade na RAM, mas, como aponta o iFixit, ela é muito, mas muito mais difícil de atualizar do que os antigos iMacs de 27 polegadas. Eles tinham RAM que você podia atualizar só de desparafusar uma pequena placa na traseira da unidade. Nesse novo iMac Pro, você basicamente precisa desmontar o computar inteiro. Mas pelo menos você pode ficar ganhar o conforto de saber que essa sua máquina de R$ 38 mil pode durar mais do que um par de anos.

[iFixit]

Imagem do topo: Alex Cranz/Gizmodo