O Caribe foi o primeiro local atingido pelo furacão Irma, que matou dezenas de pessoas e acabou com ilhas inteiras. De acordo com o NASA Earth Observatory, o dano causado às Ilhas Virgens Americanas é evidente visto a partir do satélite Landsat 8, que capturou imagens em alta definição e que mostram o verde exuberante das ilhas transformado em um marrom enlameado após a chegada do Irma. Quando passou por lá, o furacão já estava na categoria cinco, com ventos de 298 quilômetros por hora.

Imagem: NASA Earth Observatory

Não existe um motivo único para explicar a mudança de cores nas ilhas, mas uma série de fatores mostram o porquê.

O Irma destruiu tudo o que viu pela frente, danificando o solo e espalhando detritos. Como Kathryn Hansen do NASA Earth Observatory escreveu, outras causas prováveis incluem ventos fortes eliminando a vegetação, deixando o solo descoberto e que “a névoa salina causada pelo furacão pode ter revestir e dessecar as folhas enquanto ainda estão nas árvores”.

Imagens de Virgin Gorda, adiciona, mostram vegetação remanescente no sul e oeste da ilha, que provavelmente foram protegidas por colinas.

Virgin Gorda. Imagem: NASA Earth Observatory

Toda a região do Caribe sofreu pelo menos 38 mortes resultantes do furacão Irma, que praticamente varreu do mapa algumas ilhas menores como Barbuda. O observatório publicou imagens de satélites similares, mostrando a devastação intensa por lá; a ilha vizinha de Antígua, onde os danos foram menos intensos, continua verde e brilhosa.

Imagem: NASA Earth Observatory

O NASA Earth Observatory capturou imagens utilizando o Operational Land Imager, um instrumento que está no sistema Landsat 8, lançado em 2013.

As Ilhas Virgens experimentaram danos tão graves que o Washington Post noticia que os moradores afirmam que não sabem o que fazer a partir de agora, com saques e assaltados armados acontecendo. O vídeo do veículo mostra uma mostrou destruição generalizada. A cidade como um todo tem pouca estrutura restante.

A gerente de um restaurante, Lauren Boquette, que estava em St. John, disse ao Post que o que viram “está além de um tempo difícil, que parece o fim do mundo. Tudo o que era normal para nós foi destruído”.

[The Verge]

Imagem do topo: St. John e parte ao sul de Tortola. Crédito: NASA Earth Observatory