Para muitos entusiastas, o telescópio Espacial Hubble se parece mais como um amigo do que um pedaço de metal no espaço – um amigo que tem um emprego super legal. O telescópio, lançado no ônibus espacial Discovery em 1990, já enviou para a Terra algumas das imagens mais incríveis do universo – mais de 1,3 milhão de observações de planetas, galáxias e muito mais, tudo isso girando a quase 30 quilômetros por hora entorno do nosso planeta.

Ontem (24), o Hubble completou 27 anos, superando as expectativas mais otimistas da NASA por mais de uma década. Ele já tem idade o suficiente para votar, fazer apostas e até mesmo alugar um carro. Reunimos algumas das fotos mais atemporais do telescópio, que são mais do que um presente para nós:

Par de galáxias espirais NGC 4302 e NGC 4298

galaxias-espiraisImagem: NASA, ESA e Hubble Heritage Team (STScI/AURA)

Esse plano detalhe de par de galáxias foi revelado no dia 20 de abril de 2017, a tempo do aniversário do Hubble. As galáxias – chamadas NGC 4302 e NGC 4298 – estão localizadas a praticamente 55 milhões anos-luz de distância, a ambas são menores do que a nossa Via Láctea. De acordo com o site do Hubble, embora as duas pareçam muito diferentes uma da outra devido ao ângulo pelo qual as vemos, elas são bem similares na composição.

Erupção na Europa

europa-fotoImagem: NASA, ESA, W. Sparks (STScI) e USGS Astrogeology Science Center

É difícil de acreditar nessa imagem, que se parece com a capa de um álbum do R.E.M., mas ela é real. É uma imagem composta da Europa, com dados capturados pelo Hubble no dia 17 de março de 2014. Ela marca uma das nossas melhores evidências de erupção de água líquida na lua congelada de Júpiter. Essa é uma das razões pelas quais cientistas estão interessados em explorar a Europa – e até perfurá-la – para achar bioassinaturas.

Cortina remanescente de nebulosa

nebulosaImagem: NASA, ESA e Hubble Heritage Team (STScI/AURA)

Existe alguma coisa mais deslumbrante do que essa nebulosa? Acho que não. A foto, tirada em abril de 2015, mostra os restos deixados de uma explosão de estrela que acredita-se ser 20 vezes maior do que o nosso Sol. De acordo com o Hubble, a Nebulosa Veil tem cerca de 110 anos-luz de diâmetro, embora sua beleza seja infinita.

Pilares da Criação

pilares-criacaoImagem: NASA, ESA e Heritage Team (STScI/AURA)

Uma imagem clássica do Hubble foi capturada em 1995 e revisitada em setembro de 2014 – esta que você vê acima é a mais recente e revela um novo olhar sobre a Nebulosa da Águia, localizada a 6,5 mil anos-luz da Terra. Dentro desses “dedos” de hidrogênio e poeira, estrelas estão nascendo, por isso o nome “Pilares da Criação”.

Galáxia Espiral M83

m83Imagem: NASA, ESA e Hubble Heritage Team (STScI/AURA); Reconhecimento: W. Blair (STScI/Johns Hopkins University) e R. O’Connell (University of Virginia)

M83 não é apenas um grupo francês de rock eletrônico. Localizada a 15 milhões de anos-luz de distância na constelação Hydra, essa galáxia cheia de aglomerados de estrelas, que se revelam nessa composição de diversas exposições tiradas entre agostos de 2009 e setembro de 2012. A marca rosa brilhante vem das estrelas mais jovens (de 1 a 10 milhões de anos de idade), que absorvem a luz ultravioleta e marcam a aura de hidrogênio.

Você pode ver mais imagens incríveis do telescópio neste link.

Imagem do topo: NASA, ESA, e Hubble Heritage Team (STScI/AURA)