Não há dúvida que os deputados federais são bastante mimados no Brasil: além do alto salário, eles recebem inúmeros benefícios. Um desses benefícios, a cota parlamentar, foi esmiuçada pelo UOL em um ótimo infográfico em Flash. Não me lembro de ter visto o Flash ser usado para algo tão útil – e de forma tão leve – nos últimos tempos. Quanto aos 567 deputados federais, quem gasta mais?

Cleber Verde (PRB/MA), Pinto Itamaraty (PSDB/MA) e Evandro Milhomen (PC do B/AP) lideram a lista dos que mais usam a cota parlamentar – a verba para reembolsar o que os deputados gastam no trabalho.

A maior parte dos gastos de Verde e Itamaraty são de divulgação: Verde diz que, sem divulgação, o deputado “passa por inoperante, por alguém que não faz o que se propôs a fazer”. Então ele gastou R$114.000 nos último seis meses; a média de gastos de divulgação é de R$15.600. Fabiano Angélico, especialista em transparência governamental da FGV (Fundação Getúlio Vargas), acredita que “o contribuinte não deveria financiar esse tipo de coisa, uma vez que a Câmara dos Deputados já tem uma enorme estrutura de comunicação institucional”. Será que a internet poderia ajudar na divulgação dos trabalhos?

Os maiores gastos dos deputados federais são com divulgação, aluguel de carro, combustível, telefonia e consultoria – segundo Angélico, “ninguém sabe para quê servem essas consultorias”. E há campeões em gastos como serviços postais: Lincoln Portela (PR-MG) gastou R$43.600; a média é de R$3.300. Ele diz que enviou 27.000 correspondências devolvendo material de divulgação velho – será que deveríamos realmente pagar por isso?

O infográfico do UOL – além da série de reportagens – tem muito mais dados para você ficar indignado. Com o Flash, no entanto, é só alegria: [UOL Notícias]