Você talvez não lide muito com panela de pressão – eu mesmo tento manter minha distância, por mais que eu goste de cozinhar – mas muito provavelmente sua família utilizou e continua a utilizar este popular utensílio doméstico nas mais diversas receitas.

Seja para fazer o clássico feijão brasileiro, uma carne de panela ou uma simples sopa em dias mais frios, a panela de pressão está sempre presente na nossa cozinha.

Esta máquina de dobrar roupa é tão cara que eu prefiro fazer a tarefa manualmente
Uma lixeira com aspirador embutido para aposentar sua pá

Entretanto, apesar de muito popular e praticamente obrigatória nas cozinhas do nosso país, a panela de pressão nunca se popularizou nos EUA.

Apesar de existir uma série de panelas e utensílios culinários elétricos que fazem tudo que se possa imaginar – panela elétrica de arroz, panela elétrica de cozimento lento (slow cooker ou crock-pot), iogurteira elétrica, sem contar as inúmeras grelhas elétricas derivadas da popular George Foreman Grill – americanos nunca se importaram muito com a panela de pressão.

Talvez seja por terem acesso a uma vasta variedade de alimentos enlatados (é possível encontrar até carne de jacaré em lata por lá), que eliminam o processo de imersão e cozimento que muitos grãos crus (como o feijão, a lentilha e o grão de bico) necessitam para estarem aptos para o consumo.

Ou talvez seja por puro medo de acidentes – por mais seguros que alguns modelos sejam, quem é que já não teve vontade de sair correndo quando a panela começava a apitar?

Mas então por que um dos produtos mais vendidos dos EUA no ano foi passado foi uma bendita panela elétrica de pressão?

A milagrosa Instant Pot

(Créditos: Instant Pot)

Lançada em 2009 por Robert Wang, um cientista da computação que buscava tempo para cozinhar refeições mais saudáveis para sua família, a Instant Pot, uma panela elétrica que junta uma panela de pressão, uma panela de cozimento lento, uma panela de arroz, uma iogurteira e muitos outros utensílios em um só dispositivo, foi um dos produtos mais vendidos pela Amazon em 2017.

E ela gerou um exército de fanáticos: São milhares de resenhas positivas na página da Amazon, muitas dizendo que amam a panela e algumas até afirmando que ela é o melhor produto já inventado na história; o número de fãs presentes no grupo oficial do Facebook da panela ultrapassa os sete dígitos (até o fechamento desta matéria eram mais de 1.1 milhão de usuários).

Mas panelas de pressão, incluindo as elétricas, não são novas no mercado de utensílios domésticos. Até mesmo as simplificadas funções das slow cookers, que permitem preparar banquetes com o apertar de um botão, não são novidades. Então, o que faz da Instant Pot tão popular e desejada? A princípio, segurança.

Wang, o criador da Instant Pot, afirma ao New York Times que o sucesso da panela vem de uma série de sensores que a impossibilitam de superaquecer ou explodir sob pressão. Melissa Clark, autora e colunista gastronômica da mesma publicação, concorda. “Ela é projetada com série de funções de segurança auto reguláveis, incluindo sensores que regulam a temperatura e quantidade de pressão na unidade”, explica a colunista.

Porém, não foi apenas um punhado de sensores que deu fama a Instant Pot. “Sem a Amazon, nós não estaríamos aqui”, disse Wang.

Início modesto e o ponta pé da Amazon

Dados sobre a Instant Pot em 2017: foi um dos produtos mais vendidos na Prime Day 2017 (dia de descontos exclusivo para membros Prime), entregue em mais de 27 mil códigos postais em todo os EUA, e o produto mais inserido em listas de desejos e listas de casamento. Além disso, o livro de receitas da panela foi um dos produtos mais presenteados. (Créditos: captura de tela/Amazon).

Robert Wang não é nenhum chef de cozinha, gastrônomo ou químico e cientista culinário. Ele cresceu na China, adquiriu um Ph.D. em ciências da computação e estava decido em trabalhar com o desenvolvimento de sistemas de inteligência artificial. No entanto, foi só depois de uma série de empregos no ramo e sua eventual demissão com a crise financeira de 2008 que ele começou a desenvolver a Instant Pot.

Wang contratou dois engenheiros, utilizou US$ 350 mil de suas economias pessoais – a Instant Pot não possui investimento de terceiros – e gastou 18 meses para desenvolver o produto de ponta que combina panela de pressão, panela de cozimento lento e outras conhecidas funções da cozinha em um único dispositivo.

Os primeiros meses não foram bons para as vendas, o que fez com que Wang listasse na panela a Amazon – e foi aí que um casamento de sucesso começou.

A panela chamou a atenção de membros da comunidade culinária, em especial os vegetarianos e adeptos da dieta paleolítica (que consiste no consumo de alimentos ingeridos pelo Homo sapiens durante o período paleolítico), devido ao tempo que ela economiza cozinhando grandes porções de grãos e largos pedaços de carne.

Depois desse sucesso inicial após listar a panela na Amazon, Wang enviou unidades para cerca de 200 influenciadores, chefs e blogueiros testarem o produto – e as vendas continuaram a aumentar.

Ele não divulga números exatos, mas diz que até 2015, mais de três milhões de panelas foram vendidas (incluindo modelos de outras marcas). Wang diz também que mais de 1.500 livros de receitas para a Instant Pot foram escritos – muitos dos quais também fazem parte dos mais vendidos da Amazon.

A Instant Pot foi o produto mais vendido pela Amazon durante o Prime Day nos EUA e Canadá em 2017. (Créditos: captura de tela/Amazon).

A Amazon, inclusive, é uma grande responsável pelo sucesso do produto. Wang aceitou participar do “Fulfillment by Amazon”, um serviço para vendedores do marketplaece da empresa que cuida de todo o processo de empacotamento e entrega em troca de uma porcentagem no preço de cada item vendido. Hoje, mais de 90% das vendas da Instant Pot são feitas pela Amazon.

Atualmente, a Instant Pot oferece treze modelos diferentes da panela elétrica, mas Wang não revela o que podemos aguardar para o futuro – apesar da marca já oferecer um produto que não é uma panela: um sous-vide (termocirculador), um dispositivo que permite manter o controle da temperatura por longos períodos, ideal para cozimento de alimentos a vácuo.

Ele revela, no entanto, que o visor da Instant Pot mostra o número 5:20 em todas as fotos oficiais porque quando se fala o número em voz alta, eles soam como “eu te amo” em mandarim, algo que Wang acredita mostrar aos consumidores o quanto ele se importa com eles.

Apesar de ainda não estar disponível no Brasil, tenho certeza que a Instant Pot faria muito sucesso com universitários cansados de comer miojo ou arroz de panela elétrica. É possível importá-la com todas as taxas pagas diretamente da Amazon US, mas prepare o bolso, porque o processo não é nada barato: um dos modelos mais simples, de US$ 70, sai por R$ 885 com a entrega padrão. É melhor continuar com o miojo.