Muito está mudando na computação pessoal: laptops estão ficando menores e mais finos; tablets estão se tornando ferramentas mais úteis de produtividade; e todo o setor não consegue chegar a um consenso sobre o que o futuro nos reserva. Aí a Intel chega e diz que acredita firmemente em uma tecnologia que parecia deixada a um nicho: laptops com tela de toque.

Em entrevista à PCWorld, o gerente de produto da Intel Anand Kajshmanan disse que a Intel “acredita firmemente no conceito de toque, e de toque em formato clamshell” – ou seja, toque em um formato dobrável com articulação, como um laptop com touchscreen. Ele ainda disse que a Intel está “estimulando fortemente nossos parceiros” a acrescentar touchscreens a seus ultrabooks.

Ora, ora. O formato clamshell implica que a touchscreen vai ficar levantada, na vertical, o que não dá muito certo em laptops. Mesmo tablets em formato clamshell são ruins (olá, Sony P). A ideia foi publicamente rejeitada por Steve Jobs, depois que a Apple fez testes em um conceito, devido ao fato que que o toque na vertical cansa o usuário. Sem uma forte inovação – o que é obviamente possível e eu adoraria ver – isto não deve mudar tão cedo.

Na entrevista, Kajshmanan também fez um comentário interessante sobre Windows vs. OS X. Ele diz que o Windows é um grande diferencial quando se trata de comprar um laptop, chamando-o de “o sistema operacional que os usuários aprenderam a amar”. Ele tem alguma razão. Não está totalmente certo, mas tem alguma razão. [The Verge]

Foto por Travis Isaacs/Creative Commons