O Chrome já ultrapassou o Internet Explorer no Brasil há alguns meses, mas no mundo o Internet Explorer ainda domina, e mais: no último mês, roubou participação de mercado do Chrome, Firefox e Safari. O que aconteceu?

A Microsoft vem promovendo o IE9 em vídeos na TV e na campanha “O Navegador que Você Amava Odiar“, dizendo que ele está bom agora – bem diferente do que era no passado. A Microsoft aparentemente também continua a recomendar o update do IE8 para o IE9: a NetMarketShare mostra que o IE8 caiu 2,2 pontos, mas o IE9 cresceu em 2,6 pontos. (Infelizmente, até mesmo o IE6 cresceu um pouquinho (ugh), em 0,7 ponto.)

No total, o IE ganhou 1 ponto percentual, chegando a 54% de participação. O Chrome caiu 0,4 ponto; o Safari caiu 0,2; e o Opera, 0,1. É pouco, mas sinaliza uma virada? Bem, a participação do IE começou a subir desde janeiro, e com o IE10 no Windows 8 ele pode ganhar mais espaço. E por que isso importa? Porque nem todo navegador nasce igual, e desenvolvedores web criam sites pensando em quais navegadores são mais usados – em certo nível, a guerra de navegadores ainda molda a web.

Enquanto isso, no Statcounter, o IE não para de perder espaço, e sua queda é quase um espelho da ascensão do Chrome. Por que a diferença? O Ars Technica explica que o Net Marketshare mede o tráfego de forma a computar quantas pessoas de fato estão usando cada navegador. O Statcounter não leva em consideração visitantes únicos, nem o fato de que o Chrome faz prerenderização e pode aumentar, assim, sua participação em termos de pageviews. [Net Marketshare via Ars Technica e Cnet]