Ontem o Fantástico, da Rede Globo, veiculou reportagem sobre o escândalo do projeto Jampa Digital lançado em 2010 com a promessa de oferecer acesso à Internet gratuito em toda a capital da Paraíba, João Pessoa. Não bastassem as denúncias de pagamento de propina e superfaturamento no processo licitatório, hoje, quase dois anos depois do lançamento festivo do Jampa, a conexão simplesmente… não funciona.

Na época secretário de ciência e tecnologia de João Pessoa, o hoje Ministro das Cidades Aguinaldo Ribeiro comemorou o Jampa Digital no show de rock que celebrou o lançamento do projeto: “Está aí, internet de graça para toda a galera de João Pessoa. Parabéns.” Os repórteres do Fantástico testaram vários pontos de acesso (teoricamente) já em funcionamento, chamaram técnicos e especialistas para tentar estabelecer conexão e consultaram populares para saber como o serviço se comportava no dia-a-dia. O resultado foi bem desastroso: nada funciona.

Hoje a Prefeitura de João Pessoa emitiu comunicado onde se defende. Segundo a declaração, mudanças e atraso no cumprimento dos objetivos do Jampa Digital teriam sido motivados por um corte de R$ 22,3 milhões no repasse do Governo Federal. Orçado em R$ 27 milhões, o projeto teve que ser refeito para se adequar ao novo orçamento, de cerca de R$ 6,2 milhões (R$ 4,7 milhões do Governo Federal e R$ 1,5 milhão da prefeitura).

Apesar do escândalo e das denúncias, o Jampa Digital está, ainda de acordo com a prefeitura, funcionando, atendendo em quatro pontos uma média de 300 usuários por dia — pouquíssimo para uma cidade de ~720 mil habitantes. A prefeitura diz que o ponto testado pelo Fantástico, entre Tambaú e a Estação Cabo Branco, estava com um equipamento defeituoso o qual já foi encaminhado ao fabricante (está na garantia). O estranho é que a reportagem diz ter testado “vários pontos da cidade”. Funcionando ou não, até 1º de outubro, data limite para a conclusão das instalações, a prefeitura garante que os 20 pontos de acesso prometidos estarão funcionando.

Cidades digitais já são realidade nos rincões do Brasil. João Pessoa tinha a ambição de ser a primeira capital digital, totalmente conectada, do país. Entre boas intenções e interesses escusos, o ralo de dinheiro público continua aberto. E quem paga o pato (e a conexão privada, já que a pública não funciona) somos nós. [Fantástico, G1]