Algo precisa ser feito para lidar com os estimados 100 milhões de pedaços de lixo espacial feito pelos humanos que circulam o planeta. E o Japão tomou uma iniciativa. Mas o que podemos fazer? Atirar com um laser? Inventar um Wall-E real para coletar tudo? Que nada… vamos só lançar uma rede enorme no espaço.

No mês que vem, a Agência Japonesa de Exploração Aeroespacial (Jaxa) fará exatamente isso. Ao se juntar a uma empresa responsável pela fabricação de equipamentos de pesca, a Jaxa desenvolveu uma rede de arame com cerca de 300 metros de comprimento, mas apenas uma parte dela será lançada em órbita. Assim que for desvendada, a rede gerará um campo magnético que, teoricamente, atrairá os detritos espaciais próximos.

A missão não é tão extravagante quanto parece. A nuvem crescente de lixo espacial circulando o planeta representa uma ameaça real às centenas de satélites em órbita, sem conta a própria Estação Espacial Internacional. Especialistas acreditam que existem milhares de pedaços de detritos em pouco espaço, e qualquer um deles pode iniciar uma reação em cadeia que poderia prejudicar todo o sistema de comunicação na Terra.

O teste da rede da Jaxa que será realizado no mês que vem é apenas o primeiro de muitos. Até 2019, a agência espera enviar uma rede muito maior para capturar todos esses detritos. Não está claro o que eles pretendem fazer com o lixo após coletá-lo. [SCMP]

Imagem via AP