“Pornô é realmente muito ruim para você!”, proclama em voz alta a manchete do Daily Mail. “Japonês solitário que acumulou uma pilha de seis toneladas de revistas sujas morreu quando ela caiu sobre ele… e seu corpo não foi descoberto por seis meses.”

• Nível de radiação está crescendo absurdamente na usina nuclear de Fukushima
• Já que a gente não dá conta, fizeram um robô que coloca película no celular sem errar

Mas quase nada nessa manchete está correto. O Daily Mail parece ter pego uma história triste da morte de um homem no Japão e acrescentou algumas mentiras a ela para torná-la mais sensacional. E, a partir daí, ela viralizou, sendo alavancada por veículos como The Mirror, The Toronto Sun, CBS PhillySky News Australia, entre tantos outros.

Então, o que de fato aconteceu? Recentemente, um homem japonês foi encontrado morto em seu apartamento. O homem vivia sozinho e estava morto há um mês, antes de ser descoberto. O médico legista afirmou que ele havia morrido de um ataque cardíaco. Como sabemos a história verdadeira? Ela foi noticiada na Nikkan Spa, no Japão, em 28 de fevereiro de 2017. A história do Daily Mail foi publicada em 3 de março.

A história do Daily Mail não dá um link para a Nikkan Spa ou reconhece de jeito algum de onde veio sua informação. O leitor médio presumiria que toda a informação apresentada pelo tabloide inglês foi coletada pelo próprio veículo. Parece que nada na versão do Daily Mail contém reportagem original, exceto pelos erros sensacionalistas acrescentados.

“Homem é morto por coleção pornográfica de seis toneladas”, dizia o The Toronto Sun.

“Homem esmagado até a morte por coleção pornô”, afirmava a Sky News Australia.

“Homem morre após coleção de seis toneladas cair sobre sua cabeça”, declarava a CBS Philly.

Mas nada disso é verdade.

Sim, o homem tinha uma coleção pornô enorme. Mas não há evidência alguma de que ele morreu por causa de sua queda sobre ele, nem que estivesse morto por seis meses. Aliás, a parte mais horrível de evidência da história original no Japão aponta para o fato de que ele caiu sobre a coleção enquanto tinha um ataque cardíaco.

nikkan-spa

Foto da coleção de pornografia do acumulador, no Japão, tirada por uma equipe de limpeza (Nikkan Spa! Japan)

A notícia original nota que, muitas vezes, pessoas que vivem e morrem sozinhas (conhecidas como “kodokushino Japão) não são encontradas até que seus fluidos corporais vazem pelo chão, chegando aos inquilinos embaixo. Neste caso, as revistas supostamente teriam absorvido esses fluidos do corpo do homem em decomposição, porque ele caiu sobre elas.

“Para não desonrar o falecido, tentamos nos livros dos brinquedos adultos na sala para que a família em luto não tome ciência disso”, contou à Nikkan Spa um homem da equipe de limpeza especializada em limpar ambientes em que pessoas morreram sozinhas.

O homem era claramente um acumulador de revistas pornô. E ele morreu de ataque cardíaco entre sua pilha pornográfica. Mas ele não foi esmagado por ela. Acho que “Acumulador morre cercado de pornografia” é uma manchete menos clicável que “MEU DEUS, HOMEM LITERALMENTE MORRE ESMAGADO POR SEIS TONELADAS DE PORNÔ”.

E você ainda se pergunta por que a Wikipédia recentemente baniu o Daily Mail da lista de fontes de informação na enciclopédia comunitária? Por causa disso.