Até hoje a App Store brasileira não conta com a variedade de jogos da loja americana – ou mesmo da argentina ou uruguaia – porque a Apple se recusava a adaptar sua classificação etária para o Brasil. Mas parece que isto está prestes a mudar: jogos para iOS – e também iBooks – devem chegar ao país em breve.

Até o final de abril, a iTunes Store brasileira passará a oferecer apenas jogos avaliados pelo Ministério da Justiça, segundo a Veja. E Lauro Jardim, fonte confiável quando o assunto é Apple, afirma que em abril também teremos a iBookstore no Brasil – antecipando-se à Amazon, prevista para chegar em setembro. Os iBooks devem ser vendidos com preços em reais, não em dólares como no iTunes, algo que causou polêmica no passado. Toda essa movimentação da Apple faz sentido, agora que a empresa aposta mais no conteúdo da iTunes Store – músicas e vídeos – disponível no Brasil.

Devido ao Estatuto da Criança e do Adolescente, todo jogo vendido no Brasil precisa ser avaliado pelo Ministério da Justiça, para ser classificado por faixa etária. No final de 2010, a Apple propôs ao ministério usar a própria classificação etária que vale nos EUA, sem adaptá-la ao Brasil, o que não foi autorizado – e, pelo visto, as conversas estagnaram por mais de um ano.

O Google consegue vender seus jogos no Brasil usando uma brecha na lei: como os jogos do Google Play estão armazenados em servidores nos Estados Unidos e a venda é feita a partir de território americano, através de cartão de crédito internacional, o Google fica isento de obrigações junto ao Ministério da Justiça. Mas se os jogos da App Store também estão hospedados nos EUA e o iTunes também exige cartão de crédito internacional, por que a Apple não faz o mesmo que o Google? O Windows Phone Marketplace, da Microsoft, obedece à lei, o que implica uma espera de “aproximadamente 40 dias” para cada jogo ser avaliado. [VejaRadar Online]