A NASA encontrou mais um novo candidato a “Terra 2.0”: um planeta com tamanho semelhante ao nosso, na zona habitável de uma estrela semelhante ao Sol.

O recém-descoberto Kepler-452b é o menor planeta já descoberto na zona habitável de uma estrela – ou seja, a uma distância que permitiria existir água líquida na superfície, e potencialmente vida.

Apesar de ter um diâmetro 60% maior que a Terra, o Kepler-452b é bastante parecido com nosso planeta: ele tem um ESI (Índice de Similaridade com a Terra) de 83%. O índice leva em conta o diâmetro do exoplaneta, sua densidade, campo gravitacional e temperatura da superfície.

Kepler-452b (1)
Terra e Kepler-452b

Em um comunicado, a NASA aponta outras semelhanças:

O Kepler-452b é maior do que a Terra, porém sua órbita de 385 dias é apenas 5% mais longa. O planeta está 5% mais longe da sua estrela-mãe (Kepler-452) do que a Terra está do Sol.

A estrela Kepler-452 tem 6 bilhões de anos, e é 1,5 bilhão de anos mais velha que o nosso Sol, tem a mesma temperatura, e é 20% mais brilhante…

A massa e composição do novo planeta ainda não foram determinados, mas pesquisas anteriores sugerem que o Kepler-452b deve ser rochoso, assim como a Terra.

Vale lembrar que há muitos candidatos a “Terra 2.0”. Na verdade, o Catálogo dos Exoplanetas Habitáveis reúne 31 planetas semelhantes ao nosso, todos na zona habitável de suas respectivas estrelas:

Catalogo planetas habitaveis julho 2015

Além disso, o novo Kepler-452b está muito mais longe de nós que os outros candidatos. Ele fica na constelação de Cygnus, a 1.400 anos-luz de distância.

Para você ter uma ideia, a Voyager 2 é nossa nave espacial que chegou mais longe no universo: ela foi lançada há trinta e oito anos, mas está a mero 0,0017 ano-luz de distância.

Ainda assim, o novo planeta pode ser de grande interesse para os cientistas. “Podemos pensar no Kepler-452b como um primo maior e mais velho da Terra, fornecendo uma oportunidade para entender e refletir sobre o ambiente em evolução da Terra”, diz Jon Jenkins, chefe de análise de dados da NASA, no comunicado.

[NASA e Planetary Habitability Laboratory]

Imagens por NASA/JPL-Caltech/T. Pyle e PHL @ UPR Arecibo