É oficial. Confirmando especulações, o executivo da Microsoft que mais admirávamos, J Allard, está saindo da Microsoft depois de 19 anos. Formado na Boston University, ele injetou seu talento no Xbox, Xbox 360 e Zune, mas agora está partindo, deixando-nos com boas memórias.

O homem que uma vez descreveu a equipe original do Xbox e ele próprio como o "Eminem da Microsoft" neste artigo clássico do Seattle Times, e depois chamou o Kotaku de medonho, nos deu muita alegria – não só por promover videogames dentro da Microsoft.

O CEO da Microsoft, Steve Ballmer, concorda. "J trouxe para a Microsoft, por anos, uma magia criativa e que mudou o jogo – do Windows ao Xbox, do Zune ao KIN", disse ele no press release oficial confirmando a saída de J Allard e Robbie Bach. "Ele foi um dos principais propulsores no nosso trabalho inicial com a Web, e nós estamos absolutamente encantados que o papel de J com a empresa vai evoluir de uma forma que permite que toda a Microsoft ganhe com seu insight de negócios, conhecimento técnico e olho vivo para a experiência do consumidor." J servirá como um "assessor em um papel estratégico para Ballmer e sua equipe de liderança".

J Allard deixou a Microsoft, e nossos corações partidos, mas deixou bons conselhos para a gigante desajeitada do mundo de eletrônicos.

"Encontre um universitário que diz que não entendemos nada e que bloga incansavelmente sobre nossa falta de agilidade. Encontre um engenheiro elétrico que tenha focado em células-combustível e tenha pensamentos radicais sobre gerenciamento de energia. Ou um gênio de redes sociais que cansou de construir pequenas ilhas que ganham e perdem interesse e não conquistam o público em geral."

"Contrate um designer que deu forma a duas décadas de belos automóveis e acredita que podemos esculpir a tecnologia para conectar melhor os usuários. Inspire-os com nossos objetivos. Dê-lhes as ferramentas. Dê-lhes muita corda [atenção]. Aprenda com eles. Apoie-os para onde eles levarem vocês. Convide-os a redefinir A Tribo."

"Decidam. Mudem. Reinventem."

No geral, é isso mesmo que a Microsoft precisa. Allard era muito interessante por sua personalidade – e pelos produtos nos quais ele trabalhou e que deram certo – porque ele não pensa como a Microsoft pensa. Ele pensava à frente deles, de uma forma que nunca tínhamos visto outro membro público do alto escalão da empresa fazer.

Esperamos que eles usem os conselhos, e ao procurar o próximo J, pensem fora da zona de conforto, "fora da caixa". Os Xboxes futuros vão precisar disso. [Microsoft]


O ex-CXO e ex-CTO da divisão de Entretenimento e Dispositivos da Microsoft inaugurou uma nova era de pioneirismo corporativo. Estes são alguns de nossos momentos favoritos com J.

A transformação

Antes um nerd gordinho e formal, J Allard fez a transição para "o cara" com uma mudança de imagem. Um genuíno entusiasta de hoodies (moletom com capuz) e aficionado com streetwear, J dificilmente era visto sem um blazer por cima da camisa de manga, ou algo com marca Bape ou 3sixteen.

J relaxa

A atitude mais relaxada de Allard ao levar ao mercado mais outro investimento em hardware de uma empresa multibilionária ficou extremamente aparente quando J rejeitou a tradição de apresentações e sentou no palco, enquanto discutia a visão utópica do Xbox Live. Nunca mais vimos um executivo de videogames sentar no palco de novo.

N’Gai – 1, J – 0

J apostou com o ex-jornalista da Newsweek N’Gai Croal que o PSP não conseguiria vender à taxa do Playstation 2, também da Sony. Ele perdeu a aposta e foi forçado – depois de muito encorajamento para honrar o compromisso – a vestir uma peruca de rastafári e mostrar um PSP hackeado na biografia executiva dele na Microsoft, admitindo derrota.

"Bem, o N’Gai mostrou [que eu perdi a aposta]", escreveu Allard. "Em outubro de 2005, a Sony anunciou que eles ultrapassaram 10 milhões de unidades depois de apenas 10 meses de disponibilidade comercial. Ele ganhou."

J dá boas-vindas ao social

J ajudou a lançar o Zune, concorrente mediano da Microsoft ao iPod. Mas ele evitou a todo custo ser fotografado com um Zune da primeira geração. Ele foi o responsável por trazer a segunda e terceira geração do Zune – e a terceira geração, o Zune HD, é impressionante.