Tenho sonhado com este momento há alguns anos. O momento em que uma companhia me contaria tudo sobre sua nova TV e gastaria mais tempo falando sobre o processador do que a tela. O momento finalmente aconteceu no mês passado, quando fui convidada para conhecer o novo catálogo de televisores da LG. Apesar de a companhia continuar a produzir belos televisores OLED com uma das melhores qualidades de imagem disponíveis, a característica que distingue este novo catálogo dos concorrentes é o processador.

CES 2018: LG queima a largada e mostra TV OLED 8K gigante com preto super escuro
• Philips anuncia novas TV OLED e TV com tecnologia de pontos quânticos
• Vendo de perto a incrível tecnologia de pontos quânticos nas TVs da Samsung

O novo processador Alpha 9 vai, de acordo com a LG, permitir um melhor mapeamento de cores, além de lidar com conteúdo de Alta Taxa de Quadros (120fps). Mas ainda assim o melhor fator do Alpha 9 será provavelmente a sua habilidade em reduzir ruídos e upscaling — técnica na qual as resoluções menores passam por um processamento que busca simular uma qualidade maior – o que são dois pontos fracos das atuais TVs de ponta. Isso pode levar a atual tecnologia dos televisores de “ótima para assistir Blu-Ray UHD em um player de US$ 700” para “ótima para assistir o telejornal”.

Pois apesar dos televisores serem capazes de transmitir imagens em alta resolução, o conteúdo disponível não se equivale. Muito do conteúdo ainda está disponível apenas em resolução Full HD (1080p), e sem nenhum dos efeitos de cores e luzes que são possíveis em novas tecnologias como uma maior gama de cores e HDR. Nem nos EUA a transmissão é em 4K, muito menos em 4K HDR. Então você acaba com uma TV de US$ 2 mil e tudo que ela transmite parece ter sido gravado com uma batata.

O processador Alpha 9 da LG pode mudar tudo isso. “O painel tecnológico é tão bom que teremos que nos diferenciar com o processamento”, disse Tim Alessi, diretor de marketing de produto na LG Electronics USA. O que ele quer dizer é que a LG já produz os melhores displays disponíveis no mercado. Ela é o padrão que todas as outras companhias se comparam – sei disso porque já sentei em muitas demonstrações de competidores que usavam como exemplo televisores da LG com as logomarcas cobertas. Os televisores OLED da LG são os melhores que você pode adquirir no futuro próximo.

A companhia espera que divulgar o processador melhorado será o suficiente para seduzir consumidores com bolsos largos (os televisores OLED da LG são vendidos a partir de US$ 1.500, geralmente) para comprar modelos deste novo catálogo que apresenta uma melhoria relativamente menor.

Mas quão menor, ou maior, a atualização do processador Alpha 9 providenciará é algo que teremos que esperar para ver. Apesar dos novos televisores terem sido anunciados hoje, só poderemos vê-los na semana que vem durante a CES 2018.

Além da atualização do processador, que inclui CPU e GPU mais rápidos e uma memória RAM melhor, a nova series-8 trará também suporte a múltiplas versões de HDR, incluindo Dolby Vision, HDR 10, HLG e Advanced HDR by Technicolor, além de continuar sendo a única marca de televisores que traz Dolby Atmos de fábrica.

E assim como televisores da Sony, os modelos OLED da LG também podem ser controlados pela Assistente Google, apesar que a LG provavelmente espera que você use a própria assistente de voz da companhia, a ThinQ, que a marca promete ser muito mais fácil de utilizar do que um controle remoto comum.

Teremos ideia de quão reais são essas promessas quando a LG mostras os televisores na semana que vem.

[LG]