O novo top de linha da LG chega ao Brasil junto com o Papai Noel, em dezembro. O Renoir é um celular com câmera de 8* megapixels, touchscreen com haptics, acelerômetro, 3G, A-GPS, wi-fi e é o primeiro a ter o recurso de som Dolby Mobile, que melhora de verdade os graves. A grande diferença é que ele não é um smartphone! Bem estranho, não? Ele usa um sistema operacional proprietário da LG mesmo, que vem com Google Pack (Gmail, Maps e tudo mais) e visualizador de documentos office (Word, Excel e Powerpoint, o mais querido de todos).

O engraçado é que por ter um sistema muito mais simples, as respostas do celular são rápidas e precisas. É só clicar em um ícone na tela que, depois da vibração, comando já foi dado. Até mesmo navegar na rede é fácil, já que as páginas carregam rapidamente e dá pra usar o visor na horizontal, aproveitando melhor a tela. A maioria das coisas pode ser feita com uma mão só, o que é imprescindível em um celular bacana. Mesmo sendo um telefone (de novo, não é um smartphone), ele consegue se virar muito bem. Outra coisa legal são os widgets (vários pequenos aplicativos, tipo previsão do tempo, relógio, essas coisas) que podem ser personalizados no desktop de acordo com o gosto do usuário.

No final das contas, o Renoir é um gadget legal. O som do aparelho é muito bom, graças ao Dolby Mobile, sua câmera de 5 megapixels tem muitos recursos legais, como o detector de sorrisos/piscadas/rostos e tudo mais, além de também conseguir filmar coisas em câmera lenta (sempre útil para flagrar um bêbado escorregando na escada). Ele também tem Divx nativo, o que vai deixar alguns de vocês leitores com tapa-olho bem contentes. O único problema é o preço do celular, por enquanto em R$ 1800. Quer uma câmera legal, junto com um celular bonito  touschscreen? Ele pode servir para você. Mas se você quiser algo mais robusto, talvez seja melhor procurar outro modelo.