Recentemente nós vimos que anúncios em apps gratuitos estão matando a bateria dos smartphones. Se isso não for motivo suficiente para comprar as versões pagas dos apps, considere essa pesquisa que acrescenta que ameaças à privacidade e segurança foram encontradas em muitos apps gratuitos devido aos anúncios que eles exibem.

O professor assistente Dr. Xusian Jiang da Universidade do Estado da Carolina do Norte e seu time de pesquisadores examinaram 100 mil apps para Android e relataram em um paper (PDF):

“Nosso estudo descobriu até o momento um tanto de sérios riscos à privacidade e segurança em bibliotecas de anúncios dentro de apps na popular plataforma Android. (…)

Analisamos 100 bibliotecas de anúncios selecionadas a partir de uma amostragem de 100 mil apps coletados do Android Market oficial e descobrimos que mesmo em algumas das bibliotecas de anúncios mais populares e estabelecidas, existem ameaças à segurança e privacidade. Essas ameaças vão da coleta intrusiva e desnecessária de informações do usuário até a permissão à execução de códigos desconhecidos de terceiros a partir do app hóspede. Como o modelo de permissões do Android não distingue entre ações realizadas pela biblioteca de anúncios da do app hóspede, o sistema atual do Android provê poucos indicativos da existência dessas ameaças em qualquer app, o que torna necessária uma mudança  no sentido de que bibliotecas de anúncios sejam integradas aos apps hóspedes.”

O Ars Technica resume o problema dizendo que as bibliotecas usadas por apps gratuitos do Android para exibir anúncios são uma ameaça à segurança e privacidade e podem ser usadas por alguém mal intencionado para burlar a segurança do Android. Os apps em si podem até ser inofensivos, mas os anúncios poderiam ser usados para executar código malicioso, já que as bibliotecas de anúncios integradas recebem as mesmas permissões que os apps em si recebem quando são baixados. (Além do crescente risco à segurança, é óbvio que apps suportados por anúncios coletam dados sobre você.)

Até que o Google modifique a maneira com que as bibliotecas de anúncios são integradas aos apps, tal qual na lição do caso da bateria, se você tiver que escolher entre uma versão gratuita suportada por anúncios e a paga, é mais esperto dar aquela força ao desenvolvedor e pagar um ou dois dólares. Pela paz de espírito e uma bateria que dure mais. [Ars Technica]