Um aglomerado de detritos que orbitava a Terra muito além da Lua está voltando para casa em 13 de novembro, segundo astrônomos. O WT1190F tem entre um a dois metros de comprimento e é provavelmente oco, mas além disso, não temos ideia do que é esse lixo espacial.

>>> Mapa mostra em tempo real os objetos que estão orbitando a Terra

Existem milhares de pedaços de lixo espacial em órbita próxima à Terra, incluindo fragmentos de satélite, estágios de foguetes, painéis velhos; no entanto, temos apenas cerca de 20 objetos artificiais sendo rastreados em órbitas distantes. O WT1190F, com uma órbita altamente elíptica, está a uma distância duas vezes maior que Terra e Lua.

O WT1190F vai queimar parcial ou totalmente em órbita por volta das 4h19 (horário de verão) em 13 de novembro. Quaisquer fragmentos remanescentes devem se espalhar pelo Oceano Índico ao sul do Sri Lanka – quem estava planejando uma viagem de pesca por lá provavelmente terá que remarcar.

O evento vai passar despercebido para grande parte do mundo, mas os astrônomos que rastreiam objetos próximos da Terra estão confusos com ele.

1489544446972873387
Um pedaço de lixo espacial em rota de colisão com a Terra aparece como um ponto brilhante no centro do GIF abaixo. Crédito da imagem: B. Bolin, R. Jedicke, M. Micheli

Jonathan McDowell, astrofísico da Universidade Harvard, diz à Nature News que ele poderia ser um “pedaço perdido da história espacial voltando para nos assombrar”, talvez um fragmento de foguete antigo da era Apollo.

A reentrada na atmosfera do WT1190F é uma rara oportunidade para os cientistas estudarem como a entrada de objetos interage com a nossa atmosfera. Isso também dá aos astrônomos a oportunidade de fazer um test-drive de uma rede coordenada que alerta sobre objetos espaciais mais perigosos.

Espero que seja possível descobrir o que é esse objeto, mesmo que ele inevitavelmente se perca. [Nature News]

Foto: pôr do sol sobre o Oceano Pacífico visto da ISS (NASA)