Federico Ciccarese e sua empresa, a Youbionic, imaginam um futuro não muito distante em que tudo que vemos é melhorado por meio da realidade aumentada e em que a capacidade do nosso corpo de interagir com o mundo é melhorada por meio da fisicalidade aumentada. E como seria isso? Para começar, com uma luva impressa em 3D de mais de US$ 2.000 que coloca duas mãos na ponta de cada um dos seus braços, em vez de só uma.

Os potenciais benefícios para uma melhoria como essa seriam imediatamente óbvios. Sua velocidade de digitação dobraria, você teria menos trabalho para bater recordes de pontuação no Guitar Hero e seria o dono das festas que frequentasse, segurando um drinque em cada uma das suas quatro mãos. As possibilidades são infinitas.

Esse é um sonho que você pode tornar realidade agora mesmo se estiver disposto a gastar pouco mais do que US$ 2.100 (algo em torno de R$ 6.780 na cotação atual) na luva Double Hand, da Youbionic. Ou dobre esse valor se quiser tê-la em seus dois braços ao mesmo tempo. Entretanto, existem alguns obstáculos importantes de que você precisa saber. Feita de partes de plástico impressas em 3D, que são certamente mais leves do que metal, a luva pode não ser tão resistente quanto suas mãos de carne e osso são, então pode tirar “vencer o Clube da Luta” da sua potencial lista de metas.

As mãos robóticas também são limitadas a movimentos básicos de abrir e fechar, que são controlados ao mover dois dos seus dedos de verdade. Então talvez você tenha algum problema ao tentar fazer algo particularmente que requeira destreza, como tocar um piano, pegar objetos minúsculos ou simplesmente apontar para alguma coisa. Parece que o futuro que vem por aí é repleto de impressão em 3D, mas ainda bem que também vai trazer uns óculos de realidade aumentada que vão nos ajudar a superar essas infelizes limitações dessas “melhorias” físicas.

[YouTube via Youbionic]