A chinesa Lenovo chegou ao brasil em maio com 3 notebooks. Hoje ela lançou uma segunda leva de produtos para o natal. Entre as 5 novas máquinas há um PC tudo-em-um, um notebook bem fino com processador ULV (o da foto) e um netbook com design bacaninha. Receita de bolo, aparentemente. Com fabricação nacional e preços variando de R$ 1.399 a R$ 2.799, parece interessante. Mas será o suficiente para se destacar da concorrência?  Vejamos o que eles têm sob o capô.

De pontos positivos: todas as 5 máquinas novas têm monitor com iluminação traseira por LED (melhor contraste e economia de energia), proporção de 16:9 (melhor pra ver filmes), quase todas com memória RAM DDR3 e um tal de "Windows 7 Enhanced Experience", uma certificação desenvolvida em parceria com a Microsoft que, com ajustes finos na BIOS e firmware atualizado, tem tempo reduzido de boot e carregamento de coisas como antivírus.

 

U350

O computador mais interessante do dia da Lenovo tem um novíssimo processador Intel Dual Core SU4100 de 1,30 Ghz de baixo consumo (ULV – ou voltagem ultrabaixa). Ele é leve (1,6 kg) e bem fino. A telinha de 13,3” com iluminação por LED, e o sistema roda com 4 GB de RAM DDR3 1066 Mhz, 320 GB de HD e Windows 7 Home Basic 64 bits. Não há informações sobre a bateria, mas o pessoal disse que ele aguenta fácil 4 horas. A finura, o visual bacana e o touchpad multitouch (dá para dar o scroll girando o dedo ou zoom afastando ou aproximando os dedos) fazem o U350 uma espécie de concorrente do Macbook, com um preço mais de acordo: R$ 2.799. Bônus: saída HDMI.

 

C300

O C300 é um all-in-one relativamente fino e com pretensões modestas. Atrás da tela de 20” está todo o micro: um processador Atom N330 (1M cache, 1.60 GHz), 3 GB de RAM DDR2 e 320 GB de HD (Sata, 7.200 RPM), com um gravador de DVD. Fios, apenas os que ligam o negócio na tomada e o do teclado. A ideia da Lenovo, segundo os executivos que estavam na coletiva, é conquistar a classe C que está chegando agora ao mercado e quer um computador barato, com estilo e que economize espaço. As duas coisas ele faz, mas não sei se será o suficiente para fazer o pessoal desembolsar R$ 2.000 numa máquina mais ou menos. Para a Lenovo, o all-in-one é a salvação do mercado de desktops, em declínio se comparado ao de notebooks. Será?

 

Netbook S10/2

Ele é mais fino que a média (18 mm) e leve – 1 kg. Tem opção macho e fêmea (preto e o lilás da foto). O teclado é (em teoria) 87% de um normal, mas na prática é significativamente menor que os netbooks da Dell e HP, os melhores pra digitar. De resto, é o tradicional Atom N270 com 1GB, 160 GB de HD e Windows XP. Windows XP, senhoras e senhores. Por curiosidade, coloquei meu Dell Mini 10 com Windows 7 Ultimate ao lado para ver quem dava o boot mais rápido. Windows 7 ganhou do XP, com 28 segundos de vantagem. Se você quiser um netbook para colocar um Ubuntu dentro, talvez valha. Mas a princípio há opções bem melhores.

Os outros notebooks, de 14 e 15 polegadas, são mais "sérios", voltados para o público corporativo. Posto aqui quando tivermos todos os preços e informações.