A primeira coisa que você vai perceber na nova linha de TVs de LCD full-HD da LG é que elas são lindas e superfinas, com o conceito "sem bordas":não se percebe, com ela desligada, onde a tela acaba. Mas a coisa fica melhor quando se liga o aparelho. A imagem é bem impressionante para TVs de LCD, especialmente na nova série com iluminação por LED. Agora as Samsung top de linha, que reinavam absolutas nos mostruários das lojas, terão boa companhia – e a disputa de preços ficou interessante pra mim e pra você.

A série Live Borderless ("viva sem bordas") tem dois modelos com iluminação por LED (daqui em diante chamadas de TVs LED, para economia de palavras) e outros 4 de LCD CCFL. O preço sugerido das TVs de LED são R$ 5.999 (42”) e R$ 7.999 (47”). A de 42” tem o mesmo preço da Samsung de 40” no mercado, e a briga tende a esquentar (mais sobre isso adiante). No caso das LCDs, o preço sugerido vai de R$ 3.299 (32” – caro) a R$ 8.999 (55”). Elas chegaram às lojas no fim de semana.  

Fora o design, o que elas têm de bacana? A simpática Fernanda Summa, gerente de produtos de TV da LG, resumiu a nova linha pra gente, em meio ao barulho das cigarras:
 

Se você prefere não olhar para a cara bonita da Fernanda, aqui está a listinha das coisas legais das novas TVs:

– Todas da nova série têm sintonizador de TV digital integrado.
– Dá para ligar um HD externo e gravar diretamente a programação.
– Conexão bluetooth para ouvir as músicas ou ver as fotos do celular, por exemplo, ou ouvir o som com um headphone bluetooth.
– Entrada USB para ler arquivos de vídeo divx, incluindo em alta definição.
– Entradas, muitas: 3 HDMI, 2 video componente, 3 RCA, e saída de áudio digital. 
– Base giratória.
– Tempo de resposta de 2 ms.
– Frequência de atualização da tela (refresh rate) de 120 Hz para as LED e 240 Hz para as LCD normais (CCFL).

Pois é, a LCD CCFL tem na verdade uma tecnologia Trumotion mais avançada, teoricamente para evitar o motion-blur, a imagem borrada quando há muito movimento, especialmente de câmera. Isso faz alguma diferença? Um estudo da Displaymate Technologies diz que a vantagem é mínima, não visível às pessoas normais. O HD Guru diz que mesmo as TVs de 240 Hz só conseguem acabar com os borrões diminuindo a resolução da imagem, quando a passagem é rápida. Na boa? Eu sou dono de uma TV de plasma (600 Hz) e as imagens das novas TVs da LG me pareceram ótimas em comparação, e eu sou bem chato com imagem. Mas é preciso colocar um PlayStation 3 / Xbox 360 ou assistir uma corrida nelas para realmente saber.
 
A LG diz que foi empregada uma nova técnica de integração dos paineis à TV durante a fabricação, chamada de unilayer, que dão esse visual único, diminui o risco de arranhões e o reflexo na tela. Que ele é bonito, sem dúvida, mas dizer que diminui o reflexo acho difícil. A LG teve uma ideia não muito sábia de lançar as TVs numa tenda com iluminação natural apenas (sem ar-condicionado, no calor dos infernos do interior de São Paulo), e o que se viu foi a tela refletindo como um espelho muito caro. Veja:
 
 

Fora essa questão do reflexo, a outra desvantagem da LED da LG (especialmente em relação a concorrente direta da Samsung) é a ausência de conectividade. Enquanto algumas novas TVs acessam o Youtube, veem a previsão do tempo e conversam com o computador via Wi-Fi, a LG deixou tudo isso de lado. Pelo que eles pesquisaram, o público por enquanto não dá muita bola pra essas coisas (ou não sabe usar) e, apesar de terem a tecnologia, acharam melhor deixar essas opções de fora, ao menos em um primeiro momento, para baratear o produto. Uma decisão boa, se a minha opinião vale. É bem melhor ligar um notebook/computador media center/videogame numa TV dessas, que navegam pela internet e fazem mais coisa, do que ficar digitando no controle remoto e vendo uma quantidade limitada de notícias. 

 
 
Por que comprar uma TV de LCD com iluminação por LED ao invés da LCD comum?
 
falamos sobre isso por aqui, mas não custa explicar melhor. A LG fez a gentileza de levar as duas TVs sem o painel de LCD na frente para vermos a diferença de fato. Aqui está uma TV com iluminação CCFL (lâmpada fluorescente de catodo frio):
 
 
Agora, a de LED:
 
 
Note que há lâmpadas tipo as da sua cozinha por trás do painel CCFL. Elas nunca são desligadas, o que faz com que o preto nunca fique totalmente preto e sempre tenda pro cinza na TV comum. Outro problema é que essas lâmpadas ocupam mais espaço, fazendo com que a TV seja mais grossa – a nova série da LG tem 2,9 cm de espessura (LED) e 4,9 cm (LCD comum). Terceira grande diferença: as luzinhas LED consomem até 50% menos energia que uma TV LCD comum.
 
Se você quiser ser bem técnico, dá para dizer que as TV LED da LG, Samsung e Sony que vieram para o Brasil até agora, não são os melhores exemplos da tecnologia. Como as luzinhas ficam na lateral (e não atrás da imagem), não é possível ter o local dimming, que é o apagamento completo de setores de luzes da tela para garantir um preto perfeitamente preto. A LED lateral faz isso mais ou menos (apaga setores aproximados), mas por outro lado é 50% mais barata que a LED pura, ao menos nos EUA. A troca parece valer a pena.
 
Há, obviamente, mais especificidades que cobrimos no nosso artigo anterior e eu ainda não tenho todo o conhecimento para entrar nisso. Melhor do que explicar com dados técnicos por que é uma solução interessante, a minha sugestão é: vá a uma loja que tenha essas TVs e compare a imagem. As cores e o contraste são claramente melhores que as LCDs comuns, e até melhores que o Plasma dependendo do uso.
 
 
Qual é a melhor LED: LG ou Samsung?
 
Na verdade, a LG foi esperta. A Samsung apareceu primeiro, gastou um bocado de dinheiro para mostrar por que a tecnologia de iluminação por LED produzia imagens mais ricas, além do apelo ecológico. Mas o clima não era muito propício para vendas, com o mundo pós-crise. Resultado: por mais que ocupem posições nobres nos mostruários de lojas como Fnac, a linha LED da Samsung não chegou a 1% do mercado de TVs de tela fina (dados da LG). 
 
Mas as pessoas falam um bocado de LED, como se fosse a coisa mais legal do mundo. Aí entra a LG, com TVs com imagem igualmente impressionante, design bacana e preço interessante. Mais importante: num momento pré festas de fim de ano e véspera de ano de Copa. É agora o melhor momento para vender, e a Samsung pavimentou a estrada. Curioso, não?
 
Mas eu não respondi a pergunta. E nem vou responder. A Samsung me impressionou mais, mas porque nunca tinha visto nada parecido antes e ela foi aprsesentada em condições ideais – uma sala escura. A pobre LG, jogada ao sol na coletiva de imprensa, tem potencial, mas impressionou menos. O design da LG é mais bonito, a Samsung tem conectividade. As duas são fabricadas no Brasil, por empresas coreanas.  
 
Pelas cores e contraste superiores, você estará muitg bem servido com qualquer uma das duas. Junte uma graninha, espere uma queima de estoques dessas ou uma promoção bacana pré-Copa e seja feliz.
 
 
Linha LED (SL90):
 
 
 
 
Linha LCD CCFL (SL80):