Você deve ter dito ou pensado um sonoro "não" depois de ler a pergunta acima. Mas e se, em troca, você ganhasse minutos a mais, SMS gratuitos ou bônus para navegar na internet? A Claro vai começar a enviar propagandas para seus clientes a partir de dezembro, e isso parece uma boa ideia.

É preciso instalar um programa no celular para receber propagandas — por isso mesmo, o celular a receber anúncios deve ser um smartphone: os primeiros a receberem o My Screen serão os Blackberries e aparelhos com Symbian (em dezembro), depois os iPhones e celulares com Android (em janeiro). A Claro não descarta embutir, no futuro, o programa em celulares, então celulares não-smartphone talvez possam entrar na brincadeira também.

A propaganda é projetada na tela do celular em fullscreeen, pra você não ignorar, e surge depois de encerrar uma ligação. O reclame pode ser um link para um vídeo, uma imagem ou um número de telefone. Os benefícios existirão, mas ainda não estão claros. No IDG Now:

A operadora ainda está avaliando como os consumidores serão recompensados, mas, de acordo com a diretora de serviços de valor agregado da Claro, Fiamma Zarife, os usuários receberão como prêmio minutos, pacotes de mensagens de texto e bônus para navegar na internet.

É importante notar que a Claro não vai impor isto aos clientes: só quem autorizou a empresa a enviar anúncios pode participar do programa — e mais da metade dos clientes da Claro disse que sim. A autorização é feita de várias formas: via SMS, formulário de pesquisa ou na assinatura do contrato. Só receio que muitos tenham autorizado receber propagandas ao assinar o contrato e não viram, ou não entenderam do que se tratava. Mas a Claro sabe que, em tempos de portabilidade, não pode pisar na bola:

"É muito mais fácil o cliente trocar de operadora do que de marca de refrigerante, por isso temos que ter muito cuidado para não queimar o canal", observa [Fiamma Zarife, diretora da Claro].

Você aceitaria receber propaganda no seu smartphone, em troca de bônus da operadora? Contem-nos tudo aí embaixo, nos comentários. [IDG]