Perdido por centenas de anos, um recém recuperado mapa da Austrália do século XVII foi finalmente restaurado e exibido em um museu em Canberra. O documento registra os esforços dos exploradores para criar o mapa cem anos antes do capitão James Cook zarpar para o Pacífico.

Ele é chamado de Archipelagus Orientalis (Arquipélago Leste), e foi criado pelo cartógrafo mestre Joan Blaeu em 1663. O documento, conhecido como o mapa Blaeu, foi redescoberto em 2010 em um depósito sueco onde ficou por centenas de anos. Ontem, depois de quatro anos passando por meticulosas técnicas de preservação para estabilizar o frágil documento, o mapa retornou a sua casa na Biblioteca Nacional da Austrália em Canberra.

Mapa de Blaeu (Imagem: Biblioteca Nacional da Austrália)

O mapa é importante porque é o primeiro a mostrar (a maior parte) da costa australiana, e porque foi criado mais de cem anos antes do explorador britânico James Cook fazer suas famosas viagens pela região em 1770. O mapa também inclui as primeiras observações da Tasmânia pela equipe de Abel Tasman a bordo do Zeehaen em 1642. O mapa da “Nova Holanda”, como era chamado antigamente, mede 1185 mm x 1520 mm, e foi usado de modelo por toda a Austrália até as viagens de Cook.

Martin Woods, curador de mapas na Biblioteca Nacional da Austrália, diz que ele foi desenhado usando milhares de medidas coletadas durante uma dúzia das viagens holandesas, a maior parte feita pela companhia Dutch East India, por três décadas. Conversando com o The Canberra Times, Woods diz:

É como um gigante mapa de novidades, caso assim prefira. Há tanta informação nos textos ao redor do mapa, desde oportunidades mercantis a detalhes para as navegações, até ilustrações de barcos em batalha, tudo isso conta o que acontecia […]

Embora a Austrália seja o centro das atenções do mapa, para Blaeu e seus conterrâneos, ela era um quebra-cabeça. Eles viajaram pela costa litorânea, eles viajaram pelo norte, pelo sul, pelo oeste, procurando por oportunidades mercantis, ocasionalmente atracando, não encontrando pessoas com bens que eles reconhecessem e pudessem trocar, zarpando novamente. Anos depois, a curiosidade os atrapalharia e outra jornada ocorreria e este padrão continuou até eles decidirem concentrar seus esforços nas Ilhas Molucas [na Indonésia], deixando o enigma da Austrália para trás.

O mapa de Blaeu é parte da exposição Mapeando Nosso Mundo em exibição na Biblioteca Nacional da Austrália até o ano que vem.

[National Library of AustraliaCanberra Times]

Imagem de topo: uma porção do Mapa de Blaeu, mostrando contornos norte, oeste e sul da costa da Austrália (Biblioteca Nacional da Austrália)