Uma equipe de pesquisadores britânicos criou um material que quebra recordes, mas talvez você não perceba: ele é tão escuro que você mal consegue vê-lo.

O novo material, chamado Vantablack, é um revestimento produzido em lâminas de papel alumínio. Ele é composto por nanotubos de carbono, que absorvem cerca de 99,96% da luz visível.

O revestimento segura a luz e não a deixa sair: os fótons entram nos espaços entre os nanotubos, saltam dentro da estrutura e não conseguem sair, sendo lentamente absorvidos pelo material. Na verdade, ele absorve tanta luz que até mesmo a forma e os contornos de um objeto se tornam invisíveis se ele for revestido com o material.

Por exemplo, se uma superfície estiver amassada e dobrada, mas coberta pelo Vantablack, “você espera ver elevações mas tudo o que você pode ver… é preto, como um buraco, como se não houvesse nada lá. É muito estranho mesmo”, diz Ben Jensen, diretor técnico da Surrey NanoSystems, que desenvolveu o material.

vantablack

É possível notar isso na imagem acima: a película de Vantablack é bem fina, mas você não consegue ver como a folha de alumínio está amassada no centro.

Mas o que fazer com isso? Pense em câmeras astronômicas, telescópios e escaneamento por infravermelho, onde o Vantablack poderia ser usado para calibrar dispositivos – afinal, ele é o material mais escuro que conhecemos. Por enquanto, o obstáculo é o preço: a Surrey NanoSystems não diz quanto ele custa, mas o Vantablack aparentemente é “muito caro”. [Surrey Nanosystems via Independent]

Foto por Surrey NanoSystems