Com o lançamento do Xbox One X a apenas alguns meses de distância, a Microsoft precisa de uma vitória no intervalo para manter as pessoas interessadas no console que, atualmente, está em um muito distante segundo lugar em relação à Sony. E é por isso que não é surpresa alguma que o gerente de marketing do Xbox, Aaron Greenberg, tenha dito à GameReactor que a companhia estava “conversando com a Sony” sobre o potencial de um crossplay entre os dois consoles.

• Xbox Game Pass chega ao Brasil por R$ 30 em setembro e funciona offline
• O guia definitivo para os gamers casuais em 2017

Crossplay é o termo aplicado para a possibilidade de gamers jogarem com outros gamers independentemente de qual console eles tenham escolhido levar para casa. É meio que o santo graal para gamers presos no console menos popular, já que frequentemente eles não conseguem jogar com seus amigos – e porque uma base de usuários menor significa menos pessoas com quem jogar em geral. Com 33 milhões de Xbox Ones vendidos desde o lançamento do console, a Microsoft está bem atrás da Sony, que afirma ter vendido 60,4 milhões de PS4s desde o lançamento.

Considerando que a Microsoft está um pouco atrás, seduzir gamers com a provocação de um potencial crossplay faz bastante sentido. Greenberg, que estava em Colônia, na Alemanha, para a Gamescon, maior convenção de games na Europa, disse à GameReactor que “é um foco de colocar o consumidor em primeiro lugar, e acho que é nessa direção que a indústria está indo”. Ele especificamente apontou para a capacidade de jogar Minecraft entre múltiplos dispositivos, incluindo Xbox One, iPhone e Nintendo Switch.

Mas quanto à Sony em si, Greenberg disse: “Estamos conversando com a Sony. Nós temos uma parceria com eles no Minecraft e é claro que gostaríamos de possibilitar que eles sejam parte daquela comunidade, unindo gamers… Esperamos que eles apoiem isso”.

Ainda assim, faz pouco sentido para a Sony se juntar ao time e unir todos os gamers de outros consoles.

“Certamente não é uma posição filosófica profunda que temos contra isso. Já fizemos isso no passado”, Jim Ryan, chefe de vendas globais e marketing do PlayStation, disse à Eurogamer em junho. “Estamos sempre abertos a conversas com qualquer desenvolvedor ou editor que queira conversar sobre isso. Infelizmente, é uma discussão comercial entre nós e outros acionistas.”

Isso porque, nesse momento, o PS4 é o console mais vendido disponível, e uma das razões pelas quais as pessoas continuam o comprando é o fato de que ele é a escolha certa se uma pessoa quer jogar com seus amigos. Ser simpático com a concorrência simplesmente não interessa para a empresa, embora possa ser uma benção em potencial para a Microsoft.

[GameReactor, h/t Windows Central]

Imagem do topo: Alex Cranz/Gizmodo