Como já era esperado, o Ministério da Justiça notificou o Google em busca de mais informações sobre os novos termos de uso do gigante das buscas. Com a junção de todos os serviços em um só, o Departamento de Proteção e Defesa do Consumidor (DPDC) que saber quais opções os usuários têm para não terem seus dados compartilhados em diversos serviços.

O DPDC usou como base para a notificação o direito constitucional à privacidade e o Código de Defesa do Consumidor. Segundo o iG, eis o que o Google terá de responder em até 10 dias:

Entre as questões que deverão ser explicadas ao Ministério da Justiça estão o processo de revisão da política de privacidade e de que forma a sociedade pode opinar sobre as mudanças realizadas pela empresa. O órgão também questiona se há alguma alternativa para os internautas que desejam usar diversos produtos do Google, “sem que haja uma interconexão de seus dados pessoais entre diferentes produtos”.

A posição do Ministério da Justiça ainda não é tão incisiva quanto nos EUA e na Europa, onde a nova política da empresa foi criticada duramente. Questionamos o Google Brasil sobre qual será a posição da empresa sobre o assunto e recebemos a seguinte resposta, usando como base um post recente da empresa explicando as mudanças:

A nova política não altera nenhuma configuração existente de privacidade ou o modo como suas informações pessoais são compartilhadas fora do Google. Não coletaremos informações adicionais sobre os usuários. Não venderemos seus dados pessoais. E continuaremos a utilizar a melhor segurança do mercado para manter suas informações a salvo.

Se você não acha que o compartilhamento de informações aprimorará sua experiência, pode utilizar nossas ferramentas de privacidade para fazer coisas como editar ou desativar o seu histórico de pesquisa e histórico do YouTube, controlar a maneira como o Google exibe anúncios sob medida aos seus interesses e navegar pela web de forma “anônima” com o Chrome. Você pode usar serviços como a Pesquisa, o Google Maps e o YouTube mesmo se não estiver logado. Você ainda pode separar suas informações em contas diferentes, já que não combinamos dados pessoais entre elas. E, como temos um compromisso com a liberdade dos dados, é possível levar suas informações para outro serviço, se você quiser.

O Google mantém aberto o diálogo com as autoridades brasileiras e vai responder formalmente ao DPDC.

[via Info e iG]