Os usuários estão abandonando as redes peer-to-peer para baixar música nos Estados Unidos: em 2012, foram 21 milhões de pessoas usando redes P2P, 17% menos do que em 2011.

Os números, do NPD Group, apontam que a pirataria de música em geral diminuiu consideravelmente no ano passado. A baixa na quantidade de pessoas baixando em redes P2P resultou em 26% menos conteúdo baixado. Além disso, os CDs piratas diminuíram 44% e a troca de arquivos entre HDs caiu 25%.

O motivo é o crescimento de serviços de música via streaming, como Pandora, Spotify e Deezer, que oferecem músicas com uma grande vantagem em relação ao P2P: você não precisa baixá-las e pode ouvir em qualquer dispositivo. Além disso, eles são legais, licenciados e não acompanham spywares, um problema bem comum para quem baixa em redes P2P.

A indústria fonográfica, que ano passado teve um pequeno crescimento em receita pela primeira vez desde 1999, parece que entendeu um jeito de convencer os usuários a não baixarem mais músicas ilegalmente. Mas isso nos Estados Unidos, onde serviços contam com o enorme acervo de grandes gravadoras. Aqui no Brasil ainda temos poucos serviços assim. Por isso perguntamos a nossos leitores: vocês deixariam de baixar música com mais opções de streaming? [NPD Group via Estadão]