A Motorola anunciou hoje a disponibilidade do Defy Mini, irmão menor-mas-nem-tanto dos conhecidos Defy e Defy+, smartphones casca grossa que se tornaram conhecidos pelos mergulhos* vistos em diversos vídeos publicados no YouTube.

Apesar do nome, o “Mini” do novo Defy não é tão pequeno assim em se tratando de tamanho absoluto: ele é na realidade maior que o Defy+ (109mm contra 107mm), embora mais estreito (58,5mm contra 59mm) e mais fino (12,6mm contra 13,4mm). É bem verdade que o Defy e Defy+ são relativamente pequenos, mas de qualquer forma o nome dá a impressão de que o novo modelo é ainda menor. Apesar de se encaixar em um segmento mais baixo, o Defy Mini conta com câmera frontal, coisa que o Defy+ não tem.

Não se anime ainda, pois as vitórias do Defy Mini param por aí. O processador é mais lento que o do Defy+ (600 MHz contra 1 GHz), a câmera tem resolução menor (3 MP contra 5 MP) e carece de foco automático e estabilização de imagem e a tela, a despeito do formato mais avantajado, encolheu (3,2″ com resolução de 320×480 contra 3,7″ a 480×854). A bateria também tem menor capacidade, 1650 mAh contra 1700.

Para desespero dos puristas, a Motorola implementou no Defy Mini o que chama de MotoSwitch. Segundo a empresa é uma camada de software no Android que dá destaque para opções, apps e contatos mais acessados, moldando automaticamente o sistema ao usuário. E por falar em Android, ele sai de fábrica com a versão 2.3.6 “Gingerbread”.

O preço sugerido é de R$ 649 e a disponibilidade, imediata. Com o Defy+ a ~R$ 800 em algumas lojas, é de se considerar se as configurações piores do novo membro da família valem o preço R$ 150 mais barato.

***

* Embora diversos vídeos mostrem o Defy+ e o antigo Defy voltando vivos e sadios depois de serem submersos e apesar da certificação IP67, vale lembrar que esses modelos não são à prova d’água, são apenas resistentes. A própria Motorola avisa, nas especificações do aparelho, que ele não deve ser usado imerso em água.