O Netflix está se preparando para reformular seu esquema de preços. De acordo com uma carta aos acionistas e uma entrevista com o GigaOm, o site de streaming quer criar três níveis de preço para seus clientes.

Na carta aos acionistas, os executivos Reed Hastings e David Wells explicam:

“Em abril, introduzimos uma opção de 4 streamings simultâneos por US$ 11,99 para começar a nossa avaliação de novos planos. Desde o ano passado, também testamos variantes de 1 streaming e 3 streamings, bem como variações SD/HD, em vários níveis de preço. No futuro, esperamos oferecer aos novos membros três opções simples para caber em todos os gostos.”

Eles notam que isso valeria apenas para novos clientes, “mantendo generosamente os planos já adquiridos e preços existentes”. Além disso, eles “não têm nenhuma pressa de implementar esses planos para novos membros”.

Vale notar que o Netflix está se referindo ao mercado americano, mas essas mudanças podem logo aparecer em outros países. Por exemplo, o plano de 4 streamings simultâneos estreou no Brasil já em maio, por R$ 25,90, pouco depois de aparecer nos EUA.

Mas como será, exatamente, o novo sistema de três planos? Ainda não sabemos! Mas Hastings explica ao GigaOm que isso não teria a ver com conteúdo específico – ou seja, pagar mais não trará mais séries e filmes. Em vez disso, eles pensam em variar outros aspectos – como o número de streamings simultâneos – para criar opções “boa-melhor-máxima”.

O plano atual do Netflix permite dois streamings simultâneos: ou seja, você pode assistir algo no laptop enquanto sua esposa/irmã/amiga vê um filme no celular, por exemplo. Mais que isso, e aparece uma mensagem de erro. Será que o Netflix ofereceria um novo plano com apenas um streaming, porém mais barato? Ou será que teremos opções de 2/3/4 usuários simultâneos?

Há espaço também para outras novidades que agreguem valor, claro. Mas é uma pena que o Netflix resista em adotar algo como o Vivo Play ou Claro Vídeo, que oferecem filmes mais recentes para aluguel.

O Netflix anunciou o resultado financeiro no último trimestre de 2013, com receita de US$ 1,2 bilhão e lucro líquido de US$ 48 milhões no período. Eles agora contam com 44 milhões de membros ao redor do mundo, a maioria nos EUA; eles não revelam quantos assinam o serviço no Brasil. [NetflixGigaOm]

Imagem por clasesdeperiodismo sob licença Creative Commons