A Nextel anunciou que vai encerrar seu serviço de comunicação por rádio, e o motivo é exatamente o que você está pensando: quem diabos ainda usa o rádio? Com o surgimento de novas tecnologias, a empresa viu seu carro-chefe se tornar obsoleto e agora incentiva seus poucos usuários que ainda desfrutam do serviço a migrarem para o aplicativo PRIP, que funciona de forma parecida e é compatível com os dispositivos atualmente no mercado. A transição vai até o dia 31 de março, quando morre oficialmente o rádio da Nextel no Brasil.

A Nextel chegou ao Brasil em 1997, e a comunicação por rádio sempre foi sua maior bandeira. Entretanto, a procura cada vez mais baixa pelo serviço, com grande parte dos clientes mudando para planos de dados, fez com que o rádio perdesse o sentido. Segundo a Anatel, os serviços de rádio registraram pouco mais de 500 mil acessos no primeiro semestre de 2017. O que até pode parecer bastante, mas se torna evidentemente baixo diante da base de usuários da empresa no País: 2,5 milhões de pessoas.

Outro ponto citado pela Nextel para justificar o fim do rádio é o fim da fabricação dos aparelhos com suporte ao Iden (nome técnico do serviço) no Brasil. Isso acabou com a possibilidade da chegada de novos clientes interessados no rádio e dificultou a permanência dos antigos entusiastas do serviço na hora em que saíram em busca de novos aparelhos. E, sim, a Nextel já descartou o recondicionamento de dispositivos antigos.

Como apontado acima, os mais saudosistas vão ter agora como alternativa aderir a um plano 4G e usarem o PRIP, alternativa de voz sobre IP e adequado aos dispositivos de hoje em dia.

Para recompensar a valentia dos que permaneceram tanto tempo no rádio, a Nextel anunciou que preparou promoções especiais de planos e aparelhos para tornar mais atrativa a migração para o 3G/4G.

[Nextel]

Imagem do topo: Divulgação