Hoje, a Nokia é uma empresa dividida em duas. Há a parte tradicional de celulares, vendida para a Microsoft; e há a parte de mapas, redes móveis e patentes. Adivinhe qual dessas divisões está se saindo melhor?

A nova Nokia teve lucro líquido de US$ 252 milhões no quarto trimestre. Enquanto isso, a divisão de celulares teve prejuízo líquido de US$ 277 milhões, com vendas menores do Lumia.

Ao The Verge, a empresa diz que vendeu 8,2 milhões de Lumias no trimestre passado. Isso representa uma queda em relação ao recorde que vimos antes, de 8,8 milhões de unidades, mesmo com os novos phablets Lumia 1520 e Lumia 1320, e mesmo na temporada de festas – quando as vendas geralmente aumentam.

A Nokia diz que as vendas da linha Asha aumentaram, mas a receita no trimestre “foi basicamente igual à do trimestre anterior”. Entre os destaques, tivemos os novos Asha 500, 502 e 503.

Celulares já não são o foco da Nokia, por isso agora eles revelam bem menos detalhes do que antes. Vale lembrar que a aquisição pela Microsoft ainda não foi completada.

A nova Nokia pode estar indo melhor, mas ainda gera preocupações. As vendas da NSN caíram 22% em um ano, enquanto a divisão Here Maps teve queda de 9% no faturamento. Nem a área de patentes escapou, sofrendo queda de 20% na receita: o faturamento depende de quanto outras empresas, que licenciam as patentes, ganham por trimestre – e elas ganharam menos.

O prejuízo líquido total foi de US$ 34,4 milhões, menor que no trimestre anterior. Porém a Nokia anunciou que se tornará mais agressiva para aumentar sua presença em redes celulares, através da NSN, prometendo baixar preços – e o lucro. As ações despencaram 11%.

Enquanto isso, a Microsoft anunciou receita de US$ 24,5 bilhões no quarto trimestre, aumento de 14% em um ano. A receita obtida de licenciar o Windows Phone aumentou em 50% no mesmo período. [Nokia via The Verge, Bloomberg]

€ 1 = US$ 1,3758