Depois de uma série de trimestres com prejuízos, a Nokia enfim parece se recuperar: segundo a AFP, a empresa teve “seu primeiro lucro trimestral em 18 meses” – e a divisão de celulares enfim ficou no azul. Mas a Nokia já avisa que este ano começará difícil para ela.

A Nokia conseguiu vender 4,4 milhões de Lumias no que foi o melhor trimestre para seu Windows Phone. No entanto, com a queda do Symbian, o volume de vendas de smartphones despencou em 66% se comparado ao ano anterior. Com isso, a divisão de Smart Devices teve um prejuízo operacional de US$351 milhões, pior que há um ano.

As vendas de celulares simples também caíram (-15%), mas renderam um lucro operacional de US$270 milhões, menor que há um ano.

Mesmo assim, a Nokia teve lucro operacional de US$367 milhões em sua divisão de celulares. Mas como? Segundo a Nokia, este valor inclui “renda relacionada a propriedade intelectual” – ou seja, patentes. Apple, RIM e outras pagam royalties à Nokia para usarem suas patentes de celular e tecnologias sem fio. O valor também inclui vendas dos caros celulares Vertu até outubro, quando a marca foi totalmente transferida para outra empresa.

A Nokia vem se reestruturando para reduzir custos, fechando unidades de P&D e cortando 20.000 empregos ao redor do mundo. No entanto, a Nokia acredita que sua divisão de celulares não terá lucro neste primeiro trimestre: ela prevê um prejuízo operacional de 2% para a divisão, devido à concorrência e a um trimestre historicamente fraco.

Quanto às outras áreas da empresa, a divisão de mapas (Location & Commerce) reduziu seu prejuízo operacional, mas ainda deve continuar no vermelho; enquanto a Nokia Siemens trouxe boa parte do lucro operacional, e deve continuar a ter um bom desempenho.

No total, o trimestre rendeu um lucro líquido de US$269 milhões. No entanto, a Nokia fechou o ano de 2012 com um enorme prejuízo de aproximadamente US$4 bilhões. Em seu primeiro trimestre com lucro, ela não pagará dividendos aos acionistas pela primeira vez em 143 anos, a fim de “solidificar a forte posição em liquidez da companhia”. [Nokia via Bloomberg, AFP e The Verge]