A Coreia do Norte desafiou o mundo com o lançamento do foguete Unha-3. Oficialmente, a justificativa para o lançamento era colocar em órbita um satélite de observação climática. Na prática, governantes do mundo inteiro temiam ser esse um exercício militar com vistas a testar o alcance de bombas atômicas. Mas não se preocupe, o lançamento do Unha-3 falhou e falhou feio.

O mundo soube do Unha-3 através da rede de TV sul-coreana YTN, anteontem. David Wright, da Union of Concerned Scientists, em entrevista ontem teceu alguns comentários sobre o lançamento do foguete:

“A fase superior do lançador é feita para carregar um satélite leve (cerca de 100 kg), então não está claro se ele é capaz de suportar uma ogiva nuclear de 1 tonelada. Mas se sim, estimamos que essa tecnologia consiga teoricamente lançar uma ogiva de 1 ton a cerca de 10~11 mil quilômetros.

Eles certamente poderiam lançar uma ogiva de 1 ton nos dois primeiros estágios, alcançando dessa forma cerca de 7500 km.”

O governo japonês estava a postos para interceptar e derrubar o foguete se necessário, mas os temores duraram pouco, porém. Momentos após o lançamento, segundo os governos norte-americano e japonês, o foguete se desmantelou em vários pedaços e caiu no mar, não conseguindo portanto alcançar seu objetivo — independente de qual fosse ele. Em uma rara admissão de falha, quatro horas depois do fracasso o próprio governo norte-coreano admitiu o insucesso da missão, para desgosto do ditador Kim Jong-un, no poder desde o falecimento de seu pai, Kim Jong-Il, em dezembro do ano passado.

O fato de o lançamento ter dado errado não diminuiu as críticas internacionais à iniciativa norte-coreana. O Conselho de Segurança da ONU agendou uma reunião para sexta-feira a fim de discutir o assunto. Segundo o secretário-geral da entidade, Ban Ki-Moon, o lançamento viola a resolução 1874 do Conselho, que proíbe esse tipo de teste. [Gizmodo US, Último Segundo]