Após cada ataque online do Anonymous e LulzSec (quando eles faziam esse tipo de coisa), era inevitável que as informações vazadas acabassem no Pastebin, a porta de banheiro vandalizada da web. Mas agora a empresa responsável por ele quer sair desse jogo.

O Register informa que o holandês dono do Pastebin (e de um sobrenome massa), Jeroen Vader, está cansado dos milhares de alertas de abusos e ataques DDoS contra seu pequeno e tranquilo site, o qual queria apenas ser um local para a publicação anônima e fácil de textos que era antes de Sabu e cia. descobrirem-no. Vader está trazendo novos reforços para seu time, contratando um time inteiro para remover manualmente do site os as incontáveis listas de cartões de crédito, senhas, endereços pessoas e todo o resto de coisas do Anonymous. Será uma longa caminhada para colocar o Pastebin de volta aos eixos mesmo como um site limpo, mas o negócio corre riscos com uma política anti-hacker: como o Register aponta, o site “atrai uma média de 17 milhões de usuários únicos por mês, contra 500 mil há dois anos. O crime compensa. Ou, pelo menos para Vader, costumava compensar. [The Register]