O Thuban, novo CPU hexa-core da AMD, chega com preços que enganam pelo seu tamanho. E tem algo que aprendemos depois de anos vendo filmes de ação: você nunca, nunca menospreza o azarão. Esse é o caso do eterno azarão, o Davi preferido de todos os micreiros, a AMD

Machucada, abatida e sovada por meses e meses de chips Intel que superavam suas peças, a AMD não desistiu. Ao contrário, ela está dando o troco com seus próprios processadores de seis núcleos e fazendo quase tudo exceto gritar "Hasta la vista, baby!".

E agora a surpresa: esses CPU hexa-core são baratos, ao menos nos EUA. Caramba, uma das peças está praticamente a preço de custo. O bem-sucedido hexa-core Core i7-980X da Intel sai por US$ 1000, nos EUA. Compare com o novo Phenom II X6 1090T 3.2GHz da AMD por US$ 295. Quer mais? O Phenom II X6 1055T de 2.8GHz custa US$ 200. É, US$ 200 por um processador hexa-core. Então é “Hasta la Vista, baby”, com certeza!

Quer mais boas notícias? O novo chip da AMD terá compatibilidade retroativa com toda a série de placas-mãe AM3 e até mesmo com as AM2+, mais velhas. Estamos muito felizes com isso já que a empresa chegou a nos dizer, certa vez, que planejava abandonar o suporte ao DDR2, o que teria excluído o pessoal que usa AM2+. Ainda bem que a empresa mudou de idéia e ambos os chips novos dão suporte a DDR3 e DDR2.

Como naqueles filmes de ação de Hollywood, essa história não estaria completa sem o suspense: os Phenom II X6 da AMD serão capazes de vencer os quad-core da Intel, que tem preços parecidos, ou mesmo o Core i7-980X, a maravilha de US$ 1000? Para descobrir você vai ter continar lendo.

Qual chip disponível hoje encaixa-se melhor no orçamento daqueles que querem bom desempenho sem machucar o bolso? Vamos passear através dos 5 melhores chips e te dizer qual comprar.

Debaixo do capô do AMD Phenom II X6

De muitas formas, o novo AMD Phenom II X6 não é tão diferente dos processadores Phenom II X4. Os dois são construídos em processos de 45nm, tem a mesma taxa TDP (thermal design power, medida de emissão de calor em operação normal) de 125-watt e apresentam a mesmo microarquitetura. É claro que o Phenom II X6 é muito maior do que o Phenom II X4. Um típico Phenom II X4 tem 258mm² de área. O Phenom II X6 é uns 40% maior, com 364mm². Estranhamente, a AMD não quis divulgar o número de transistores do Phenom II X6 mas nós achamos que é quase o mesmo, ou bem próximo, dos 904 milhões que tem outro hexa-core, o Opteron 2435. À primeira vista parece que a AMD só pegou um Phenom II X4 e colou mais dois cores. Mas não é tão simples assim. O cache L2 do novo chip ainda tem 512KB por core. O cache L3 de 6MB também é o mesmo, como nos quad-core mais antigos. Isso é uma redução, na verdade, já que o L3 de 6MB é compartilhado na execução de seis cores, não só quatro. Não está claro ainda qual o impacto que isso tem no desempenho do processador. Mas a AMD fez outras mudanças para turbinar o desempenho.

 

Turbo Boost, te apresento o Turbo Core

O topo-de-linha da AMD, Phenom II X6 1090T, tem um clock menor do que o Phenom II X4 965 BE. Mas isso é compensado, junto com a falta de aplicativos e jogos optimizados para seis cores, pela introdução do novo modo Turbo Core. O Turbo Core faz um overclock de três dos cores do CPU quando o load das linhas de execução está leve. O 1090T entra em Turbo Core dos 3.2GHz aos 3.6GHz e o 1055T dos 2.8GHz aos 3.3GHz. O modo é transparente ao sistema operacional e funciona sem precisar de drivers. Também não é tão descriminatório quanto o similar Turbo Boost da Intel, que faz aplicativos que só usam um core ganharem mais velocidade do que aplicativos que usam dois ou três. A AMD disse que seus testes mostraram que os maiores benefícios estão no aumento de três cores para joguinhos e aplicativos que não foram ainda optimizados para quatro ou mais cores. O pessoal que quer brincar com limites de oveclock e taxas pro Turbo Core podem fazê-lo usando o aplicativo OverDrive da AMD.

 

Mantendo as Coisas Compatíveis

A força da AMD vem de sua capacidade de fazer novos chips funcionarem em placas-mãe antigas. Nos três anos que se seguiram à chegada do Socket AM2+ a Intel aposentou o Socket 775 e introduziu dois novos sockets que são incompatíveis um com ou outro. A AMD demonstra bom planejamento ao fazer o mais novo Phenom II X6 funcionar mesmo nas placas AM2+ (talvez até em algumas AM2). O único fator limitante pra quem quer fazer o upgrade pro novo Phenom X6 provavelmente será o calor: a placa deve aceitar processadores de 125-watt para ser confiável a longo prazo. Atualizações da BIOS também serão necessárias, mas a AMD diz que, no lançamento, não menos que 160 placas terão atualizações de BIOS disponíveis para serem compatíveis com o Phenom II X6.

 

Abram alas para o Chipset 890FX

A AMD também está lançando, junto com o novo chip, uma nova série de chipsets: a série 8. O melhor chipset da AMD é o 890FX, que vai substituir o chipset 790FX. O 890FX tem uma grande vantagem sobre o seu equivalente da Intel, o chipset P55: o número de faixas PCI Express 2.0 que esse chipset suporta. Um dos problemas que encontramos com o P55 ultimamente é a falta de faixas PCI-E disponíveis para transmitir dados da USB 3.0 para os drives SATA 6. Em várias placas-mãe P55, instalar dois GPUs nos slots x16 PCI-E vai restringir a largura de banda para dispositivos USB 3.0 e SATA 6. Nem todas as placas sofrem com isso, mas muitas sim. Tendo 42 faixas PCI-E 2.0 num chipset 890FX, você pode rodar múltiplos GPUs com facilidade junto com seus outros dispositivos, sem sofrer restrições. Compare com o P55 da Intel que tem 16 faixas PCI-E 2.0 e risíveis 8 faixas PCI-E 1.0 dentro do próprio chipset P55.

A nova 890FX também conta com um southbridge SB850 com suporte SATA 6 nativo para seis dispositivos. O único ítem crucial que falta ao SB850 é USB 3.0. A maioria dos revendedores de placas estão integrando controladores NEC pra dar essa função.

 

Por Dentro do Phenom II X6

O novo core Thuban da AMD é essencialmente o core Istanbul usado no Opteron 2435. Empilhando mais ou menos 904 milhões de transistores, esse core monolítico tem controladores embutidos tanto para DDR2 quanto para DDR3. Enquanto o Opteron, de quem ele deriva, tem até quatro links Hyper Transport para configurações de multiprocessador, o Thuban usa apenas um link HT para se conectar ao chipset.

 

Mas Ele É Rápido?

Botamos o Phenom II X6 contra o que Intel tem de melhor.

Como sempre, é aqui que a porca torce o rabo. Para ter uma boa noção de onde se encaixa o Phenom II X6 1090T o comparamos a uma variedade de chips, entre eles o Core i7-860 de 2.8GHz (US$282), Core i7-750 de 2.66GHz (US$200), Phenom II X4 965 Black Edition de 3.4GHz (US$195), e claro, o Core i7-980X de 3.33GHz (US$1000).

Usamos placas de vídeo GeForce GTX 280 idênticas em todas as nossas plataformas de teste e os mesmos drivers gráficos. Para os testes dos Athlon usamos a nova placa-mãe MSI 890-FXA GD70. Uma Gigabyte GA-P55A-UD6 ficou com os componentes LGA1156, e uma Asus P6X58D Premium fez o trabalho com os processadores LGA1366. Todas as placas dual-channel estavam com 4GB de RAM DDR3/1333, e as triple-channel com 6GB de DDR3/1333. Usamos Windows 7 Professional e drives Western Digital Raptor 150 de 150GB em todas as plataformas.

Para referências de comparação, rodamos mais de duas dúzias de testes para achar as forças e fraquezas do novo chip da AMD. Os resultados são interessantes pra dizer o mínimo.

Primeiro, a tabela gigante de referência (clique pra ampliar. Em testes de segundos para realizar tarefas, obviamente, quanto menor a nota, melhor):

Codificação de Vídeo e Edição de Vídeo

Em geral, mais cores significam melhor performance com codificadores multithreaded e editores não-lineares, mas há mais pra contar do que só cores. Os chips Phenom II X6 ainda tem um core de execução de três chamadas de instrução, contra os de quatro chamadas do core de execução dos processadores Core i3/5/7. Contra seu concorrente natural de preço similar, o Core i7-860 de 2.8GHz, o 1090T sofre uma grande desvantagem com tempos de codificação 22% maiores tanto no Premiere Pro CS3 quanto no Sony Vegas Pro 9. No HandBrake, o 1090T se deu um pouco melhor, mas o hexa-core da AMD ainda foi uns 14% mais lento que o quad da Intel. O mais próximo que o 1090T chegou desse chip foi no nosso desafio MainConcept Reference de codificação. O 1090T se saiu bem melhor do que o Core i5-75, que não tem a vantagem do HyperThreading, mas o 750 é US$100 mais barato.

Modelagem 3D

É aqui que o Phenom X6 1090T brilha mais forte. O 1090T sai por cima do Core i5-750 e do Core i7-860 no Cinebench 10 e 11.5, e no POV Ray 3.7. Ele até consegue deixar pra trás o Core i7-870 de US$562 no POV Ray e Cinebench 11.5.

Edição de Foto

Aqui os resultados foram variados. Contra o Core i7-860 o 1090T foi mais rápido em nosso teste de conversão de arquivos no Adobe Lightroom com saudáveis 10% de vantagem, mas perdeu no teste de criação de slide-show no ProShow Producer por 17%. No Photoshop CS3 também vimos o 1090T ficar pra trás por 5.4%. No Bibble 5.02, que tem multithreading pesado, vimos ambos os chips competirem de igual pra igual, sendo que o 1090T ficou só 2% mais lento. Como era de se esperar, o 1090T se deu bem melhor contra o Core i5-750 e muito pior contra o Core i7-870. Como dizem por aí, você tem que dar o que pode.

Largura de Banda de Memória

O 1090T na verdade tem a maior largura de banda de memória de todos os CPUs AMD e superou as ínfimas bandas de memória do Core i3-53 dual-core, mas todas as três peças Clarkdale e os dois CPUs LGA1366 deixaram o 1090T pra trás. Uma coisa a considerar: largura de banda de memória não é a coisa mais importante, visto que o Core i7-980X tem largura de banda medíocre e ainda assim foi o processador mais rápido.

Jogos

O campo em que o 1090T mais decepcionou foi nos joguinhos. Contra o Core i7-860, vimos o 1090T comer poeira de dois dígitos rodando Far Cry 2, World in Conflict, Resident Evil 5 e no teste Valve Particle. O melhor que o 1090T conseguiu fazer foi no Dirt 2, vencendo o Core i7-860 por 28%. No entanto, desconfiamos que a pontuação do Core i7-860 foi um erro de nossa parte, visto que não se alinha com os desempenhos dos Core 5-750 e Core i7-870. Tenha em mente também que rodamos nossos testes em resoluções muito baixas. Numa resolução normal de jogo de 1920×1200, o desempenho fica no nível de GPU e as margens de diferenças ficam mais próximas, ao ponto do processador não fazer mais muita diferença para o jogador médio.

 

O Veredicto

Não prometemos um final de herói de filme de ação e não é o que você vai ter. Na questão do desempenho há uma conclusão variada. No geral, os quad-core Hyper-Threaded da Intel ainda saem na vantagem. No entanto, o Phenom II X6 chega bem mais perto do que AMD tem conseguido ultimamente. Os fãs da AMD vão ficar um pouco decepcionados que o X6 não dá um couro nos equivalentes da Intel, mas ainda há muita coisa boa aqui. O Phenom II X6 tem um ótimo preço, muito provavelmente é compatível com a placa que você tem na sua máquina agora e vai te dar seis cores. Pode não ser o feliz feliz que você queria, mas pense que é como o final do Império Contra Ataca. É verdade que a mão do Luke é cortada, Darth Vader é o papi dele e o Han Solo é congelado em carbonita mas talvez, talvez, tenha coisas melhores esperando além do horizonte.