Você precisa ficar em forma. Ou talvez você já esteja em forma e só precise manter. Estes relógios servem para te ajudar nas suas passadas, monitorar seus batimentos cardíacos, distância percorrida e ritmo. Mas qual deles é o melhor?

4º Lugar: Timex Ironman Global Trainer GPS com Heart Rate


Preço: US$ 360 • GPS: Sim • Inclui sensor para o tênis? Não • Inclui cinta para monitor cardíaco? Não • Nota do Giz: 2,5

À primeira vista, o Global Trainer parece bem bacana. O relógio em si armazena até 20 exercícios, e você pode transferi-los para o TrainingPeaks para estudar os dados com cuidado posteriormente. Um modo multiesporte faz com que ele também sirva para quem pedala, e ele consegue exibir até quatro tipos de dados de uma vez. E há um montão de campos para escolher. Além das informações esperadas, como velocidade e distância, ele também mede algumas coisas realmente interessantes, como a elevação percorrida durante um exercício ou o tempo gasto em uma determinada zona de altitude. Ele tem proteção contra água a até 50 metros de profundidade, e o receptor ANT+ se conecta a power meters, sensores de cadência e monitores cardíacos.

O problema é que este Timex é do tamanho aproximado de uma pedra – e tão confortável quanto uma para ser usado no pulso. Ele é notavelmente pesado e desajeitado. Se você tem pulso fino, como eu, vai parecer que está correndo por aí com um prato de jantar amarrado no braço. E não falei ainda dos botões: existem muitos deles (sete!) e eles são pequenos e muito próximos uns dos outros. Quando você está correndo, a última coisa que quer é ficar fuçando no seu equipamento mais do que o necessário. A conclusão é que, apesar de não ser um relógio ruim, o fato de existirem muitas opções melhores e/ou mais baratas por aí faz com que eu não consiga recomendar o Global Trainer para ninguém.


3º Lugar: Polar RCX5


Preço:
US$ 350 • GPS: Não • Inclui sensor para o tênis? Sim • Inclui cinta para monitor cardíaco? Sim • Nota do Giz: 3,5

Puxa, essa coisinha é tão pequena e magricela que eu estou um pouco preocupado. Você está bem, RCX5? Perdeu o apetite, foi?

Não senhor, ele está muito bem, obrigado. De fato, ele tem um apetite de leão. Por dados. Se você está acostumado com enormes e horríveis relógios de treinamento, vai se impressionar com a forma e o estilo deste aqui. Você não vai usá-lo em um jantar bacana, mas fora isso ele não faz feio na maioria das situações casuais. Ele tem uma tela grande e chamativa e botões bem localizados, e tudo é fácil de ler e de usar em movimento. Assim que você dominar a interface (que é complicadinha, veja abaixo), vai estar trocando campos e visualizações numa boa entre uma passada e outra.

O grande lance, porém, é o que esta belezinha consegue fazer com os números que ela coleta, especialmente os batimentos cardíacos. Um recurso chamado ZoneOptimizer mede a variação da sua frequência cardíaca e usa isso para calcular o seu nível de fadiga antes de cada exercício. Ele também configura automaticamente as suas zonas cardíacas para você (de maneira similar ao OwnZone da Polar). Você também pode configurar programas de treinamento específicos para diferentes esportes no próprio relógio, e usá-los em conjunto com o ZoneOptimizer. Se o ZoneOptimizer detectar que você está muito esgotado, o programa de treinamento te dá uma trégua. Todos esses dados são depois sugados pelo web app da Polar, onde você pode ver seu progresso, tempo de recuperação e cargas de treinamento. Ele até te ajuda a melhorar a sua forma ao analisar a sua cadência (a quantidade de passos por minuto). Se você corre competitivamente e leva isso a sério, este relógio manda muito bem, ajudando a entender a efetividade dos seus treinos e que está acontecendo com o seu corpo de maneira mais precisa do que qualquer outra coisa que eu tenha testado.

Mas sabe por que ele é tão fino? Porque não tem GPS interno. Ele vem com um sensor para o tênis que é usado para medir a velocidade, distância e cadência durante a corrida, mas você precisa comprar separadamente o sensor de GPS, que é igualmente fino e custa US$ 100, se quiser mapear seus treinos. Além disso, apesar dos esforços da Polar para tornar seu software mais fácil de usar, aprender a operar a interface do relógio ainda está longe de ser algo tranquilo. A interface é confusa e cheia de becos sem saída. Está na hora de uma revolução nesse sentido, meus esbeltos amigos finlandeses. Está na hora.


2º Lugar: Nike Plus GPS SportWatch


Preço:
US$ 200 • GPS: Sim • Inclui sensor para o tênis? Sim • Inclui cinta para monitor cardíaco? Não • Nota do Giz: 4

Este relógio vai ficar ótimo no seu pulso, não importa para onde você vá. Ele é fino (apenas 16mm), e a tipografia sem serifa dos números é moderna e estilosa. Ele poderia até ser confundido com um daqueles relógios japoneses importados, não fosse pelos três botões laterais. Com o apertar de um deles, você passa de hipster para esportista. O relógio tem um chip GPS interno da TomTom e se conecta com o sensor Nike Plus no seu tênis e com o monitor cardíaco Polar WIND. (Este último é vendido separadamente.) Ligado, ele acompanha sua distância, velocidade, tempo decorrido e, se você tiver o monitor, frequência cardíaca. Ele também conta voltas (basta tocar na tela para somar) e tem um timer simples de intervalos. Se você ficar um tempo sem correr, ele te dá uns toques espirituosos, tipo “Run with me later?” (“Corre comigo depois?”). A fivela esconde um conector USB, que você usa para fazer o upload dos seus dados para o extremamente bonito Nike Plus, que tem uma interface animal e intuitiva. Há até um novo recurso que mostra mapas de calor das rotas na sua região, mostrando onde o povo costuma correr.

O processo inteiro é tão simples que até o seu gato, com um pouco de tempo e alguns agradinhos, poderia entender como usar. Mas isso não significa que o SportWatch da Nike seja perfeito. A velocidade, por exemplo, só é exibida em termos de andamento (pace), o que torna a informação inútil para ciclistas, que precisam da velocidade absoluta. E caso você queira resetar o relógio, precisa fazer isso no computador – o que não faz muito sentido, já que um sensor também pode ser usado para ajustar horário. Mas, de modo geral, é um relógio fantástico, desde o iniciante até o avançado, passando pelas horas em que você não está treinando.


PRIMEIRÃO: Garmin Forerunner 910XT


Preço:
US$ 400 • GPS: Sim • Inclui sensor para o tênis? Não • Inclui cinta para monitor cardíaco? Não • Nota do Giz: 4,5

Este relógio é mais ou menos uma atualização de outro relógio multiesportivo da linha, o Forerunner 310XT. Mas tudo bem, porque o 310 era um senhor relógio de respeito – que o 910XT supera em todos os sentidos. A interface, obviamente, é bem parecida, capaz de exibir de um a quatro pontos de dados de uma vez. Até 4 telas podem ser pré-configuradas e salvas para cada esporte. A informação na tela é forte e fácil de ler, mesmo que você esteja correndo ou pedalando. Graças ao ANT+, você pode até mesmo pegar energia emprestada da sua bike.

Mas onde o Forerunner realmente se dá bem é debaixo d’água. Ele é resistente a até 50 metros de profundidade, registra a sua distância percorrida na água, contagem de braçadas, voltas e até mesmo a sua pontuação swolf (uma unidade de medida de eficiência de nado).

Precisa saber se todo esse exercício está dando certo? O 910 trabalha em conjunto com uma balança Tanita para acompanhar e registrar o seu peso e porcentagem de gordura corporal. Um altímetro barométrico funciona com o GPS para medir a altitude total com ótima precisão. Uma pontuação de efeito de treinamento te informa como está indo o seu esforço. Um sistema de contagem de calorias baseado na frequência cardíaca te dá a verdade nua e crua sobre a intensidade do seu exercício. E, para terminar, a transferência de dados automática e wireless cuida de fazer o backup de todas essas informações no seu computador.

E no que diz respeito a olhar todos esses dados deliciosos, o site Garmin Connect é um dos melhores que existem, fácil e direto, ao mesmo tempo que é super completo. Seus gráficos, mapas e tabelas fáceis de entender te ajudam a decifrar dados específicos como a alteração da sua frequência cardíaca em relação a diferentes elevações de terreno. O relógio em si é meio grosso demais para ser usado o tempo inteiro, mas durante os exercícios ele praticamente some no seu pulso, de tão confortável. O GPS é super rápido, e há alertas vibratórios que te deixam a par do seu desempenho sem nem precisar olhar para a tela. Tudo numa interface fácil de usar, tanto durante quanto depois do exercício.

O Garmin Forerunner 910XT é, sinceramente, o pacote completo. É o aparelho de fitness que eu sempre quis por muitos anos. É o resultado de muitas coisas boas que a Garmin fez ao longo da sua história, em um único produto.

O único lado ruim é mesmo o preço. É caro, sim, mas vale. Como vale.