Em maio, o Google anunciou dois novos apps de mensagens, o Duo e o Allo. O primeiro, para videochamadas, foi lançado há algumas semanas e o outro deve chegar aos smartphones Android e iOS em breve. O pessoal do Android Police conseguiu colocar as mãos no serviço e faz uma série de publicações com o que descobriram até agora.

Resumidamente, o Allo parece reunir características do Telegram, Facebook Messenger e WhatsApp. Veja abaixo tudo o que sabemos sobre ele até o momento:

Stickers

allo_0006s_0000_Layer 3
Um dos recursos mais bacanas do Telegram também irá marcar presença no Allo. O app virá com três pacotes de adesivos pré-instalados e será possível adicionar mais opções. Aparentemente teremos 24 pacotes de stickers disponíveis no lançamento.

Mensagens de voz

nexus2cee_google-allo-voice-recording
nexus2cee_google-allo-voice-recording-vs-whatsapp
Para mandar uma mensagem de voz basta apertar o botão na parte direita inferior e começar a falar. À esquerda você poderá ver a duração da sua mensagem e deslizar o dedo cancela a gravação. Para enviar, é só soltar o botão. Sim, é idêntico ao WhatsApp.

Deletar mensagens

allo_0005s_0000_Layer 6
O Hangouts não permite que você apague as mensagens individualmente, apenas conversas inteiras. No Allo será diferente. Ao selecionar uma mensagem, você verá as opções para compartilhar, encaminhar, copiar ou deletar. E quando alguma mídia for enviada, será possível escolher apagar só a mensagem ou levar a mídia junto.

Suporte para GIFs e anotações em imagens

allo_0004s_0000_Layer 9
Poderemos enviar GIFs direto da galeria. Basta apertar no botão de envio de fotos e escolher a imagem. Ainda poderemos pré-visualizar os GIFs antes de mandar.

Uma função estilo Snapchat também estará disponível para fazer anotações em imagens estáticas. Dá para escolher entre seis cores para fazer desenhos ou adicionar algum texto.

Além disso, será possível enviar várias imagens e vídeos de uma vez só. Todos os conteúdos serão salvos numa pasta específica do Allo.

O Allo será vinculado à sua conta Google

allo_0003s_0000_Layer 12
Quando o app foi anunciado disseram que ele seria vinculado ao número de telefone, como no WhatsApp. Aparentemente, o cadastro realmente é feito com o número do celular e é assim que ele encontra os contatos.

Porém, para fazer algumas personalizações será necessário uma conta Google, principalmente para obter as informações do Google Assistant, presente dentro do Allo através de uma conversa com o @google na qual você pode fazer qualquer pergunta para ele para receber a resposta como se estivesse fazendo uma busca no Google, tudo isso sem precisar sair do app.

Ainda não sabemos se será possível ter uma única conta no app para acessar as mensagens de diferentes dispositivos.

Pesquisar conversas

allo_0002s_0000_Layer 15
O app terá um campo de busca para encontrar mensagens específicas. O Hangouts carece de uma função como essa e o WhatsApp só adicionou ela no ano passado. Segundo o Android Police, a pesquisa é “extensiva” e permite buscar por mensagens compartilhadas pelo Google Assistant, assim como navegar por múltiplos resultados num único chat.

Modo privado com mensagens autodestrutivas

allo_0001s_0000_Layer 18
Outra função que o Google vai pegar ‘emprestada’ do Telegram são as mensagens autodestrutivas. Será possível abrir um chat em modo privado e definir um tempo para que as mensagens expirem. O tempo pode ser definido por cada participante e varia entre: completamente desligado, 5 segundos, 10 segundos, 30 segundos, 1 minutos, 1 hora ou 1 semana.

As mensagens terão criptografia de ponta-a-ponta, as notificações serão privadas e não será possível tirar printscreens das conversas.

Talvez não seja possível fazer backups

allo_0000s_0000_Layer 20
As primeiras versões do Allo não oferecem nenhuma função para fazer backups das conversas. Ou seja, se você desinstalar e reinstalar o app, tudo irá sumir (menos os seus grupos). Pode ser que até o lançamento os desenvolvedores incluam uma função de cópia de segurança na nuvem, mas por enquanto, nem indício dela.

[9to5 Google via Android Police]