Basicamente, que o YouTube pode continuar existindo em sua forma atual. Hoje (e ontem e anteontem), se alguém enviar um vídeo que infringe direitos autorais, o dono dos direitos alerta o YouTube e o site tira o vídeo do ar. A corte diz que esta abordagem está de bom tamanho, e o YouTube está liberado.

Só que a Viacom queria que o YouTube fosse responsável por todo e qualquer conteúdo enviado ao YouTube que infringisse direitos autorais, sem que um dono dos direitos precisasse alertar o site – eles teriam que analisar cada vídeo que eles recebessem. Como o YouTube hoje recebe 24 horas de conteúdo por minuto, isto tornaria o YouTube basicamente inviável. E obviamente isto seria ruim. [YouTube Blog; imagem via]