Só porque você não quer gastar milhares de dólares em equipamento de áudio (e outras milhares de horas configurando tudo), não significa que você não possa curtir um som de alta qualidade. No caso dos fones de ouvido, não é preciso mais do que dois dígitos de dólar (no eBay) para comprar algo bacana.

Para esta competiçãozinha amigável, nós testamos cinco pares de fones de ouvido com preços estimados entre US$ 50 e US$ 150 nos EUA (mandar para o Brasil é normalmente tranquilo). A qualidade do som foi obviamente a prioridade número um, mas o teste não foi ligá-los em um equipamento de som super ignorante tocando um arquivo FLAC sem compressão e ver qual fone reproduzia melhor os sons. Estamos falando aqui de som acessível, por isso testamos em situações de uso normal: ouvindo músicas nos nossos computadores, smartphones e aparelhos de som caseiros normais.

Nós usamos arquivos MP3 mesmo (embora ripados a 320 kbps) de vários gêneros, passeando de jazz a rock clássico, de hip-hop a pop moderno e música eletrônica. Estilos musicais diferentes exigem atributos diferentes de um fone de ouvido, e nós quisemos descobrir qual deles conseguiria acomodar o maior número deles. Depois nós consideramos conforto, portabilidade, durabilidade e beleza.

Mas chega de papo e vamos ao que interessa.

5º Lugar: Nixon Apollo

Driver: 30mm Dynamic • Design: fechado, sobre a orelha • Sensibilidade: 114 dB @ 1kHz • Preço sugerido: US$ 70 • Nota: 2

Os Apollos da Nixon são os menores e mais leves fones da turma, o que acaba sendo bom e ruim ao mesmo tempo. Sim, eles ocupam menos espaço na mochila e você até esquece que está usando, mas a alça superior que passa por cima da cabeça (conhecida como “headband”) é suscetível a dobras e perda do seu formato original. Depois de um tempo, isso faz com que o fone não fique mais tão firme na cabeça.

E no que diz respeito ao som, os Apollos sofrem com falta de detalhe e clareza em todos os pontos do espectro sonoro. Por usarem um driver menor, de 30mm, s fone não tem um grave encorpado nem uma resolução de som igualável à dos seus colegas, portanto deveria custar menos. Mas pelo menos você vai ficar estilosão usando um destes.

4º Lugar: UrbanEars Plattan Plus

Driver: 40mm Dynamic • Design: fechado, sobre a orelha • Sensibilidade: 115 dB @ 1kHz • Preço sugerido: US$ 70 • Nota: 2,5

O UrbanEars Plattan Plus tem a vantagem de ser ao mesmo tempo o mais estiloso e o mais barato da galera, combinando linhas simples com um acabamento matte e inspiração retrô. Ele tem até um recurso bacana que permite conectar outro fone de ouvido a ele, para que outra pessoa ouça música junto com você. Mas, infelizmente, a função não acompanha de perto a forma.

O som desse Plattan não foi particularmente ofensivo, com médios e agudos saindo com níveis até decentes de detalhe e clareza. Mas é só jogar uma faixa com muitos graves e você começa a se arrepender. Mesmo assim, se você está interessado em um fone que aguente o tranco, seja estiloso e compacto, este é uma opção.

3º Lugar: Sol Republic Tracks

Driver: Não divulgado • Design: fechado, sobre a orelha • Sensibilidade: Não divulgado • Preço sugerido: US$ 100 • Nota: 3,5

O Tracks, da Sol Republic, não é o mais barato dos fones de ouvido, mas está longe de ser dos mais caros. Eles ocupam pouco espaço, mas também não são os mais compactos. Mas o seu design estiloso e uma headband praticamente indestrutível o tornam uma escolha interessante para quem sai bastante e quer algo com som decente e que não caia aos pedaços na mochila.

No mundo da Sol Republic, o som não é secundário ao design, mas como eles pensam no consumidor médio, os fones são projetado para terem um som mais brilhante e colorido do que o que os audiófilos geralmente procuram. O resultado é um som com grave que chuta a sua orelha e treme de maneira gostosa, mas sem ser excessivo. Infelizmente, falta aos médios um pouco de clareza, criando um som meio raso, e distorções aparecem ao aumentar demais o volume.

2º Lugar: Grado SR280i

Driver: 40mm Dynamic • Design: aberto, sobre a orelha • Sensibilidade: 98dB @ 1kHz • Preço sugerido: US$ 100 • Nota: 4

Antes que você considere comprar um destes Grados, saiba que eles usam o design aberto, o que significa que eles vazam som intencionalmente. Isso faz com que eles não sejam legais para ouvir com pessoas ao redor. Mas se você não tem problema com este fato, a quantidade de distorção que eles produzem é significativamente menor. Provavelmente o fone mais tecnicamente sofisticado destes cinco, o SR80i é leve, confortável e bem feito. E, dependendo do que você estiver ouvindo, o som é fantástico.

Você quase consegue sentir o bafo do vocalista enquanto os vocais passam voando de um lado da sua cabeça para o outro. Instrumentos de fundo realmente parecem estar soando nos limites da sua cabeça. Mas isso é se você estiver ouvindo música clássica, folk ou pop sessentista. Coisas instrumentais e gravadas ao vivo em um estúdio. Quando você passa para o pop contemporâneo, o hip-hop e a música eletrônica, muita coisa perde a sua personalidade. E isso é meio de propósito: a Grado tenta fazer fones que representem acima de tudo o som correto da voz humana e dos instrumentos. Mas nós vivemos em uma era musical bem diferente daquela de quando os primeiros audiófilos apareceram. A música atual é cheia de graves fortes, é sintética e sampleada. É digital. Isso não quer dizer que devemos elogiar os fones que te afogam em graves e não se preocupam com os detalhes, mas precisamos aceitar que a música das massas hoje é diferente.

PRIMEIRÃO! Sennheiser HD280

Driver: 40mm Dynamic • Design: fechado, sobre a orelha • Sensibilidade: 102dB @ 1kHz • Preço sugerido: US$ 150 • Nota: 4,5

Com traseira fechada sobre a orelha e um design durável sem sacrificar a portabilidade, o Sennheiser HD280 é o rei da montanha dos headphones sub-150 dólares. Ele não é o mais barato, nem o menor, nem o mais bonito, mas é o que melhor encontrou o equilíbrio entre clareza e resolução e a capacidade de representar bem os múltiplos gêneros musicais, novos e antigos.

Você ainda vai ouvir aqueles sons menores no background das faixas antigas, mas sem sacrificar a exuberância que é a graça da música moderna. O grave é responsa, mas não solto demais. Os vocais têm textura e se movem pelo espectro sonoro. Tudo soa completo e presente. O HD280 é capaz de criar um espaço sonoro onde cada coisa está no seu lugar. O design grandão e sobre a orelha pode não ser o melhor para usar em movimento, mas ele é leve o bastante para não incomodar. E apesar do preço oficial sugerido ser US$ 150, é muito fácil encontrá-los por menos de US$ 100 na internet.