A CEO da Ouya, Julie Uhrman, anunciou que o console da empresa, que roda jogos de Android, vai abandonar a tendência de vários dispositivos portáteis de jogos, que não são frequentemente atualizados, e vai oferecer uma nova versão do hardware a cada ano.

Falando ao Engadget, ela explicou que a estratégia da empresa “é bem similar à estratégia móvel. Vai ter um novo OUYA a cada ano. Vai ter um OUYA 2 e um OUYA 3.” Essa é uma estratégia sensata, considerando que o console é baseado em processadores móveis: o primeiro lançamento vai ter um chip Tegra 3, por exemplo, então podemos esperar que a segunda geração tenha um Tegra 4. “Vamos nos aproveitar de processadores melhores e mais rápidos, vamos nos aproveitar de preços em queda. Então se a gente conseguir mais de 8GB de memória flash, vamos em frente”, Uhrman explicou.

Ela também disse que, com usuários frequentemente atualizando, o Ouya vai usar um sistema de compra de jogos não diferente do Steam. Todos os jogos, aparentemente, serão retrocompatíveis, e vinculados ao jogador – e não ao dispositivo. Parece sensato. O Ouya vai estar disponível nos EUA a partir de junho por US$ 100. [Engdaget]