Apesar de não mencionar o Google Wallet em nenhum momento, o processo judicial da PayPal coincide com o lançamento do novo serviço de pagamento via NFC que o Google apresentou ontem. Alegando que segredos comerciais foram roubados e revelados, o PayPal está atrás do Google.

O PayPal não só está processando o Google, como “dois ex-colegas que agora trabalham lá, Osama Bedier e Stephanie Tilenius”, diz Amanda Pires, diretora sênior de comunicações globais da PayPal, no blog da empresa. De acordo com o processo aberto pela PayPal e pelo eBay, dono da empresa, Bedier era vice-presidente de plataformas, mobile e novos investimentos na PayPal, e saiu em janeiro para assumir uma “posição semelhante no Google”. Tilenius, no entanto, saiu em 2009 como vice-presidente sênior de produtos global e na América do Norte, e assumiu a posição de presidente de comércio eletrônico no Google.

O PayPal pede aos leitores que vejam eles mesmos o processo (PDF), para “ver porque acreditamos que a lei foi violada, e porque nós precisamos tomar esta ação para proteger os segredos comerciais da PayPal”. O processo especifica que “ao longo do último ano, a PayPal tem desenvolvido habilidades para fornecer, a grandes varejistas, tecnologia e serviços de ponto de venda com “pagamento móvel” de próxima geração. Recentemente, o Google também vem explorando o [mesmo] mercado”.

Segundo o processo, Bedier ajudou o Google “desviando segredos de comércio do PayPal ao revelá-los dentro do Google e para nove grandes varejistas”. E o crime de Tilenius, segundo o PayPal, foi recrutar Bedier: provavelmente, o PayPal proíbe que executivos saiam da empresa e depois atraiam funcionários da PayPal para outra empresa. [PayPal]