A Philips anunciou nesta quinta-feira (31), em Berlim, duas novas TVs, destacando o módulo de processamento P5, o design dos modelos e a já conhecida tecnologia Ambilight, que projeta luzes na parede para dar uma sensação de imersão total. Os modelos também vêm com o Google Assistente, e um deles, a TV 8602, incorpora a tecnologia de pontos quânticos. O outro tem painel OLED com um sistema de som 6.1 integrado: o televisor de 65″ Série 9.

• LG V30 é uma versão mais sóbria daquele smartphone com tela secundária
• Estes são os novos Sony Xperia XZ1, XZ1 Compact e XA1 Ultra

TV 8602

O modelo 8602 é o primeiro televisor da Philips com a tecnologia Quantum Dot, que aumenta a saída de luz, o contraste e a gama de cores. Como explicamos por aqui, essa tecnologia corrige o problema de temperatura de cor dos displays LCDs. Os pontos quânticos são nanocristais, menores que 1/10.000, ou seja, da largura de um fio de cabelo humano, e possuem propriedades exclusivas quando se trata de absorção e emissão de luz.

A cor que ele produz é totalmente dependente do tamanho específico do cristal em vez de sua composição química, o que garante que o vermelho de hoje seja exatamente igual daqui a vários anos. Segundo a fabricante, com o Quantum Dot, a saída de luz dos televisores 8602 foi para 1100 nits e também a gama de cores para o DCI P3 de 98%. Portanto, é um produto certificado como Ultra HD Premium e HDR Perfect.

A tecnologia do painel é combinada com o mecanismo de processamento P5, que funciona como um módulo de processamento para otimizar as imagens em tempo real – comentaremos mais sobre ele abaixo –, e pelo sistema Ambilight em três lados da tela. Outro destaque da fabricante é o design – a Philips sempre bate na tecla de que o seu design europeu a diferencia totalmente das concorrentes asiáticas –, com acabamento frontal bem fininho, de alumínio. O modelo possui ainda uma barra de som flutuante, que se parece com uma sound bar, mas incorporada ao corpo dela. As TVs 8602 serão vendidas em versões de 55″ e 65″.

Philips 65″ Série 9

A Série 9 é o principal modelo da Philips, com display OLED e acabamento de alumínio com detalhes em vidro, o que dá a sensação de um televisor extremamente fino. Segundo a fabricante, o painel consegue produzir um pico de saída branca de 900 nits e, por ser OLED – nessa tecnologia, os pixels pretos não acendem – garante uma gama de cores ampla de 99% DCI-P3. O modelo também conta com o módulo de processamento P5 e tem um sistema de som 6.1 60W integrado, que é montado em sua base – a base pode ser colocada em cima da mesa ou na parede. O modelo será vendido em tamanho único, de 65″.

Módulo de processamento P5

O brilho nos olhos da Philips para essas duas TVs é o módulo de processamento P5. Ele é o responsável por fazer todas as otimizações nas imagens reproduzidas e, segundo a fabricante, tem 25% mais poder de processamento e 25% mais recursos de processamento, se comparado com o Perfect Pixel Ultra HD que está presente nos modelos atuais da companhia. Esse módulo é o responsável por corrigir ruídos na imagem, fazer upscaling de resolução, ajustar cores, aplicar o contraste dinâmico (HDR) e suavizar o movimento das imagens, principalmente em cenas rápidas.

Google Assistente

Os dois televisores rodam o Android TV e vêm com o Assistente do Google. Ele vai ajudar a encontrar conteúdos utilizando a interface de voz, além de controlar outros dispositivos inteligentes, como as lâmpadas Hue da marca. Ele também é integrado com o restante dos serviços Google, o que significa que você pode marcar um lembrete a partir da TV ou pedir para ele mostrar as imagens do seu Google Fotos, por exemplo. O assistente já vem nos dois modelos anunciados nesta quinta, mas também chegará nos outros modelos da Philips, assim que eles forem atualizados para o Android Nougat – a previsão é que isso aconteça ainda neste ano. Nas TVs Philips Android que não têm o microfone incorporado no controle remoto, o Assistente estará disponível por meio de um aplicativo do Google chamado Android TV Remote. Inicialmente, ele funcionará apenas na versão em inglês, e outros idiomas europeus seguirão na sequência. A previsão para o recurso funcionar no Brasil ainda não foi anunciada.

Disponibilidade

A Philips não revelou preços e data de lançamento, nem para o Brasil. Mas para termos uma ideia, os últimos televisores topo de linha da marca foram anunciados no País no final de maio deste ano e custavam R$ 30.999,00 (o modelo chamado Ambilux) e R$ 21.999,00 (o Ambilight). Ou seja, pode demorar para vermos as novidades, e os preços deverão ser bem salgados.

O Gizmodo Brasil viajou para Berlim a convite da Philips.

Todas as imagens: Alessandro Junior/Gizmodo