A Microsoft sofreu duas baixas importantíssimas ontem. Depois do gênio J Allard anunciar que sairá para um período sabático, Robbie Bach, presidente de Entretenimento e Dispositivos – ou seja, do Xbox, Zune, Kin, Courier e mais – anunciou que sairá da Microsoft. E em entrevista com o TechFlash após o anúncio, ele falou extensamente sobre a então Microsoft do futuro. Então Robbie, o que vai acontecer agora?

Como era de se esperar, Bach foi diplomático em relação aos motivos para a saída dele: ele disse que os negócios estão bem, ele quer perseguir interesses pessoais, e o fato de J Allard sair ao mesmo tempo é pura coincidência. Pode parecer estranho que um executivo relativamente jovem – e um potencial sucessor do Steve Ballmer – deixe a empresa em um momento tão crítico para seu departamento, mas a gente tem que acreditar nele. Sabe, esse cara tem opções da Microsoft há 22 anos – depois de resgatar US$9,2 milhões em ações da empresa, ele não precisa trabalhar.

Mas e os produtos? Bach minimiza o papel que os tablets terão no futuro:

Bem, o tablet está em uma área que vai evoluir daqui pra frente. Certamente é um foco para o que estamos fazendo no espaço Windows, e como eles estão pensando esse espaço. Nós vamos ter vários netbooks e tablets que estão sendo feitos lá. Vejamos como isso evolui. Eu não acho que há muito de revolucionário quanto a isso. É só mais outro conjunto de dispositivos, e nós vamos descobrir como garantir que levaremos um bom produto para os consumidores.

O que não surpreende, já que a Microsoft hoje não tem um concorrente viável com Windows 7 próximo de chegar ao mercado. Apesar de o Courier, o projeto-sonho que foi morto antes mesmo de nascer, pode não estar tão morto quanto pensávamos:

O Courier, primeiro de tudo, não foi um dispositivo. O projeto e a incubação e a exploração que fizemos com o Courier, eu acredito que seja superimportante. O "dispositivo" que as pessoas viram no vídeo não será fabricado, mas não significa que nós não aprendemos um bocado e inovamos um bocado com isso. E eu tenho certeza de que a inovação vai aparecer nos produtos da Microsoft, [estou] absolutamente confiante quanto a isso.

O corpo morreu, mas salvaram a alma? Se for o caso, é uma boa notícia.

Há outros detalhes mais ou menos interessantes sobre o Project Natal – "um ‘midlife kicker’ [novo ânimo] para o 360" – e sobre os anos de serviço do Robbie, e seus planos para o futuro. E apesar de Bach se "sentir bem sobre o futuro [da Microsoft]" daqui pra frente, não consigo evitar pensar que eles perderam um inovador importante ao perderem Robbie Bach. Alguém que não tinha medo de tomar prejuízos grandes para criar o Xbox do zero, e que ajudou a dar vida ao Windows Phone 7. Leia a entrevista inteira não só para ver o rumo da Microsoft daqui pra frente, como para ver o que eles perderam com a saída de Bach.

Steve Ballmer mandou uma circular interna sobre a saída de dois de seus mais brilhantes executivos: 

Transições são sempre difíceis. Robbie teve uma parte fundamental em tantos momentos chave da história da Microsoft – da evolução do Office à decisão de criar o primeiro Xbox, colocando a empresa dentro do ramo do entretenimento. J Allard também teve um grande impacto no mercado e na nossa cultura, oferecendo liderança em design e criando uma comunidade para o Xbox envolvida e apaixonada, além de estar desde muito cedo no centro de nosso trabalho de capturar a importância da Web para a empresa. Mas mais importante, ambos foram grandes formadores de equipes com um forte histórico de atrair, treinar e fazer crescer talentos. Como resultado, seus times estão prontos para continuar o trabalho, evoluir e entregar grandes produtos, serviços e resultados para a companhia. 

[TechFlash]