O novo iPhone é feito de vidro composto de aluminosilicato. A Apple diz que que ele é “quimicamente reforçado para ser 20 vezes mais rígido e 30 vezes mais resistente do que plástico” e que ele é “ultra-durável e mais resistente a riscos do que antes”. Isso ainda não é o bastante para resistir a um tombo de um metro.

Foi isso que o pessoal do iFixyouri fez: desafiou o que a Apple afirmou, derrubando o iPhone 4 de uma altura de cerca de um metro, a distância que o telefone fica do chão quando você está com ele em mãos. Eles disseram que esse iPhone – que eles juram ser real, mas sem seus componentes internos – resistiu às duas primeiras quedas.

No terceiro tombo, porém, a tela ficou completamente destruída depois de um sonoro estouro. Esse é um som que eu já conheço bem: a tela de meu iPhone 3GS atual já quebrou duas vezes dessa forma.

Não é nenhuma surpresa então que o pessoal de Cupertino tenha anunciado um case protetor que eles mesmo batizaram de “para-choques”. Porque agora, ao contrário dos antigos iPhones que tinham um lado de tela e outro lado construído em plástico ou alumínio – que você pouco se importava se ficasse riscado ou quebrado – agora os dois lados do aparelho são de vidro. Isso significa que ambos os lados são suscetíveis a quebrar. Meu iPhone caiu duas vezes com o lado da tela para baixo e quebrou nas duas. Por outro lado, eu já perdi a conta de quantos vezes ele caiu com a parte de alumínio no chão.

Esse novo material – 20 vezes mais rígido e 30 vezes mais resistente do que plástico – ainda quebra quando cai. Mas ele é anti-riscos? O teste não diz. Tendo os dois lados mais resistentes à riscos – a parte de trás de todos os iPhones que eu conheço são muito mais arranhadas do que a parte frontal – é uma boa coisa, se realmente for real. Mas ter o telefone, como um todo, com mais facilidade em quebrar após alguns tombos é uma péssima coisa.

Agora imagine quando você tiver que colocar seu iPhone em contato com concreto, por exemplo. Antes, você só virava o aparelho, porque você não ligava para como a parte de trás ia ficar. Agora que a parte de trás é brilhante, esbelta e de vidro, o que você irá fazer? (Ah, claro, comprar o “para-choque” da Apple.)

Eu concordo com o Steve que esse design puro-vidro-e-metal é lindo, mas a beleza perde o sentido se você tiver que esconder o telefone para protegê-lo de quedas. Isso não é o que o Dieter Rams gostaria num produto: “bom design é estética”, ele disse, mas “bom design é durável”, completou. Existe uma diferença básica entre resistência e fragilidade, e mesmo que a nova tela de vidro seja mais resistente, isso não quer dizer que ela não é frágil quando cair. [Ifixyouri]