Esqueça GPU e CPU, pelo menos por enquanto. A nova plataforma de processadores da AMD, a Fusion, quer que você se acostume com o APU (Accelerated Processing Unit), uma mistura de CPU, bus de alta velocidade e placa de aceleração de vídeo de alta definição integrada. A missão do modelo A8 Llano não é simples: enfrentar os processadores Core i3 e i5, da Intel. Será que dá jogo? Segundo nossos parceiros do ZTOP, parece que sim.

O extenso review de nosso camarada Mario Nagano, cheio de fotos e detalhes para todos os gostos, tem conclusões empolgantes para quem aguardava ansiosamente pela nova família de processadores da AMD. Mesmo sendo uma placa integrada, ela marcou 5,2 pontos em gráficos no Índice de Experiência do Windows 7, 144 pontos no Creat HD Score e arrancou 5 estrelas no Play HD Experience, ambos benchmarks do HDxPRT. Em outras palavras? Dá para fazer todas as funções básicas, assistir a filmes em alta definição sem socos e ainda se arriscar em programas de processamento de mídia mais pesados. Bom para um processador que dispensa placa de vídeo.

Indo além dos números dos benchmarks, outro número pode pesar a favor da AMD: em tempos em que os computadores atuais já rodam processadores modernos e que a percepção de diferença de desempenho para o usuário comum pode ser mínima, a venda de processadores com os nomes A6 (que mira o Core i3) e A8 (que mira o Core i5 e o i3) pode fisgar diversos usuários por uma questão meramente psicológica — pelo número maior em comparação ao concorrente. Tática de guerrilha em postos de venda? Talvez.

Para Nagano, a nova solução de processadores da AMD não quer exatamente destruir a concorrência, já que não é fácil fazer isso com quem tem 80% do mercado atual. A ideia aqui é mostrar como a empresa está um passo a frente, está estudando novos caminhos e o resultado pode ser um maior interesse por parte do público em máquinas “AMD inside”. E a conclusão de desempenho é bem animadora, de modo geral:

Para mim, a proposta da AMD com o Fusion é de oferecer para o mercado uma plataforma que apresenta (na opinião deste ZTOP) uma excelente relação entre preço e desempenho para um desktop de linha com gráficos integrados. O que nossos números mostram é que mesmo não sendo o chip e a GPU mais veloz do mercado, o A8-3850 atende plenamente — e até com alguma folga — as demandas da maioria do seu público-alvo, que não é jogador inveterado nem entusiasta de overclock que passa o final de semana mexendo na BIOS da sua placa-mãe para arrancar 5% de desempenho.

Confira todos os detalhes, benchmarks, fotos e mais opiniões clicando ao lado. [ZTOP]