Talvez você se lembre de um caso no ano passado envolvendo Julie Amero, uma professora substituta de ensino médio em Connecticut, EUA, que foi presa e ameaçada com uma sentença de 40 anos de prisão após o computador da sua sala de aula começar a exibir pop-ups pornográficos perante os seus alunos. Qualquer um com o mínimo de conhecimento de computadores saberia dizer que isto era completamente ridículo – especialmente depois de saberem que o sistema do computador da escola era desgostosamente mal-equipado para lidar com vírus e spyware. Ainda assim, as autoridades e a polícia se recusaram a admitir que haviam cometido um engano e continuaram com o caso. Agora a Amero foi obrigada a aceitar um acordo para evitar a prisão.

Como se isto não fosse absurdo o suficiente, este acordo foi redigido a despeito das esmagadoras provas forenses de que Amero não era responsável pelos pop-ups e que o perito em TI do distrito da escola, detetives e promotores notoriamente induziram o erro do tribunal para se safarem. Ao final da história, Amera pagará uma multa de 100 dólares e terá que abdicar de sua licença para dar aulas. Mesmo sentindo-se inocentada pela decisão, eu não consigo imaginar que isto possa compensar os 4 anos de tormentos que ela teve que agüentar. Só podemos esperar que agora ela possa dar a volta por cima e processar estes babacas. [Courant via Boing Boing Gadgets]