Por algum motivo, as pessoas não levam o vôlei de praia a sério no Reino Unido. Por quê? É um esporte legítimo, afinal. Não se trata apenas de garotas seminuas na areia. Então como estas atletas estão combatendo o estigma? Com QR codes na bunda. Peraí…

Primeiro, deixo claro que eu respeito mesmo o vôlei de praia, justamente por eu ser tão ruim jogando vôlei de praia. Mas as britânicas Zara Dampney, 24, e Shauna Mullin, 26, se uniram para as Olimpíadas 2012 com um acordo que transforma o traseiro delas em um outdoor. Elas reclamam que os britânicos ainda veem as jogadoras de vôlei como símbolos sexuais, não como estrelas do esporte.

Mas me diz como colocar QR codes na bunda ajuda a mudar essa imagem? A propaganda estimula as pessoas a tirarem fotos do traseiro delas! Tirando o fato de que não dá pra capturar o QR code enquanto elas estiverem se mexendo, imagine algum idoso babando pelas meninas e sacando o celular para tirar foto do bumbum na quadra. Vão torcer pelo motivo errado…

E o QR code contém um link para o Betfair, um site de apostas, o que não ajuda muito. Bem, o Betfair quer que a campanha seja vista e lembrada por fãs do esporte no mundo inteiro. Missão cumprida! Pelos motivos errados, o que não deve ser problema para eles. Esta deve ser uma das campanhas de marketing mais inadequadas que já vi, em nome da glória olímpica e do orgulho nacional. Eu gosto de mulheres bonitas, e sou a favor de mulheres fortes que querem fazer diferença. Mas reclamar de ser “apenas um objeto” e chamar a atenção pra sua bunda? Aí não dá. [Daily Mail via Copyranter]