Não é surpresa saber que os produtos pouco glamourosos mas vitais, como o Windows e Office, trazem dinheiro para a Microsoft como se fosse água. Mas cadê o Xbox? O Zune? Windows Mobile? Bing? Ah, eles estão aí. Você só precisa olhar mais perto.

Os produtos mais visíveis da Microsoft que não são o Windows e o Office caem em duas divisões: Entretenimento e Dispositivos (E&D) e Serviços Online. Xbox, Zune (ambos dispositivos e serviços), programas para celular e, em alguma medida, o Media Center estão todos dentro da área de E&D, que vem gerando um lucro pequeno em um trimestre e prejuízo pequeno em outro há anos.

Serviços online, como o Bing e o Hotmail, tem um histórico mais consistente, sangrando dinheiro da empresa todo mês, com apenas alguns sinais de fazer isso parar.

Tudo bem, o gráfico da Silicon Alley Insider só cobre o lucro operacional, então ele não reflete quanta receita cada divisão traz para a empresa, ou, em um sentido mais geral, qual a importância e tamanho desses produtos para a Microsoft. (Você pode assumir que, mesmo que a divisão esteja perdendo muito dinheiro, que o Xbox é considerado um grande produto.) Mas ainda assim, não é difícil ver uma tendência: produtos excitantes, mas arriscados — alguns dos quais são assunto por aqui — não rendem dinheiro. [Silicon Alley Insider]