A gente sabe que o futebol não é uma ciência exata. Se fosse assim, Oswald de Souza e Tristão García seriam técnicos muito melhores do que Felipão para a seleção brasileira. Ainda assim, brincar com os números pode ser útil para tentar entender como se desenrolará o Mundial – afinal, só conhecimento não basta para fazer os palpites certeiros no bolão da firma. Pois o matemático francês Julien Guyon criou uma fórmula para avaliar a “sorte” de cada seleção na fase de grupos. E dá até para dizer que o Brasil se deu bem.

Saiba mais na Trivela.